sicnot

Perfil

Mundo

Governo colombiano e FARC acordam amnistia e entrega de armas

O governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) anunciaram na noite de quarta-feira um importante acordo sobre justiça, considerado decisivo para avançar para a paz entre as partes.

© John Vizcaino / Reuters

A leitura do comunicado do acordo foi feita na presença das delegações das duas partes, dirigidas pelo Presidente colombiano, Juan Manuel Santos, e pelo líder máximo das FARC, Rodrigo Londoño Echeverri, também conhecido como Timochenko.

O acordo prevê a criação de um tribunal especial para a paz, anunciaram hoje em Havana representantes dos países garantes, Cuba y Noruega, das negociações que têm decorrido na capital cubana.

O Estado colombiano vai conceder uma amnistia "o mais ampla possível" aos delitos políticos, ficando de fora os crimes que na legislação colombiana estejam tipificados como sendo de lesa-humanidade, genocídio ou graves crimes de guerra.

O acordo contempla ainda a entrega das armas pelas FARC num prazo de 60 dias.

Santos já afirmou que o acordo de paz vai ser assinado no máximo "dentro de seis meses".

Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.