sicnot

Perfil

Mundo

Nova Zelândia deporta homem que pediu asilo devido a alterações climáticas

As autoridades da Nova Zelândia deportaram um cidadão de Kiribati que pediu asilo devido aos efeitos das alterações climáticas, indica hoje a imprensa local.

Reuters

Ioane Teitiota, de 39 anos, que tentou ser reconhecido como primeiro refugiado climático, regressou de avião ao seu país, onde as fontes de água foram contaminadas por sal devido aos avanços do mar, segundo a agência NZN.

Teitiona e a mulher emigraram em 2007 para a Nova Zelândia, onde nasceram os seus três filhos, mas quando o visto de trabalho expirou pediram às autoridades que lhes dessem o estatuto de refugiados climáticos. O pedido foi negado em julho.

Kiribati, composto por mais de 30 atóis (ilhas em forma de anel com estrutura coralínea), elevado a dois metros do nível do mar, figura, juntamente com as Ilhas Marshall e Tuvalu, entre os países mais afetados pelo aumento do nível das águas devido às alterações climáticas causadas pelo aquecimento global.

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC