sicnot

Perfil

Mundo

Cão cheirou cancro na dona

Uma britânica de 62 anos afirma que o seu cão detetou o cheiro do cancro da mama.

Karin Gibson e o cão "Paddy"

Karin Gibson e o cão "Paddy"

DR

Karin Gibson afirma em entrevista à BBC que foi ao médico porque o cão não parava de tocar na área do corpo. Depois dos exames, acabou por se confirmar que Karin tinha cancro da mama ainda em fase inicial.

"Ele tornou-se num 'cão-cola', sempre a saltar para cima de mim, a cheirar o meu hálito, a olhar para os meus olhos e a tocar no meu peito", explicou Karin. "Achei tão estranho que decidi ir ver o que se passava".

"Eu salvei-o quando ele era um cachorro abandonado e agora foi ele que me salvou", disse.

Uma investigadora do centro britânico de Investigação do Cancro disse à BBC que sabe-se que alguns cancros produzem moléculas que têm cheiro.

"Nós não conseguimos cheirá-las, mas os cães têm o olfato muito sensível", explicou, acrescentando que está a decorrer uma investigação com cães treinados para detetar através do olfato cancro da próstata.

  • Segurança da Academia de Alcochete avisado 10 minutos antes do ataque
    1:57
  • "Não acho que seja prudente" o regresso dos atletas à Academia do Sporting
    5:49

    Crise no Sporting

    As agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting, na Academia de Alcochete, foram o tema de uma entrevista a Ana Bispo Ramires, psicologa do desporto. Questionada sobre se os jogadores deveriam regressar ou não à academia, Ana Bispo Ramires diz que não devem fazê-lo e explica que é importante que haja medidas de atuação, o mais rápido possível, para que os atletas e restante equipa técnica do clube possam reprocessar, do ponto de vista cognitivo, as ameaças que sofreram. 

  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC