sicnot

Perfil

Mundo

Casal espanhol pede "morte digna" para filha com doença irreversível

Um casal espanhol que pretende dar uma "morte digna" à sua filha, que sofre de uma doença neurodegenerativa irreversível, conseguiu o parecer favorável de um comité de ética, mas os médicos recusam acatar a decisão.

© Ronen Zvulun / Reuters

Estela Ordóñez e António Lago são os pais de Andrea, uma criança de 12 anos que está internada nos serviços pediátricos do Complexo Hospitalar Universitário de Compostela (CHUS), em Santiago de Compostela (norte de Espanha).

O casal pede que seja retirado o suporte artificial de vida à filha, alegando que a limitação dos esforços terapêuticos em casos totalmente irreversíveis não é apenas uma recomendação, mas sim uma boa prática clínica reconhecida por lei.

Num relatório, hoje divulgado pelo casal, o comité de ética da unidade hospitalar deu parecer favorável à posição defendida pelos pais de Andrea, mas os serviços de pediatria do CHUS decidiram prolongar os esforços terapêuticos.

Após uma reunião com a equipa médica, hoje realizada, o casal afirmou que os médicos referiram que o documento do comité "não é vinculativo" e que ainda não chegou "a altura de retirar o suporte artificial de vida".

Em declarações aos jornalistas, os pais de Andrea declararam estar "indignados" e admitiram recorrer à justiça.

Estela Ordóñez e António Lago argumentaram que o estado de saúde da menor tem vindo a agravar-se desde setembro de 2014, enfrentando fases muito dolorosas e tratamentos muito agressivos.

Num comunicado, os serviços pediátricos do CHUS afirmaram que estão a atuar "segundo os princípios mais rigorosos da ética", frisando que o seu procedimento respeita totalmente "a legislação vigente".

Na mesma nota, a unidade médica assumiu, no entanto, o compromisso de "limitar o tratamento terapêutico neste ou em qualquer outro caso em que se entenda que a situação clínica assim o exija", de forma "a evitar o momento de obstinação terapêutica, como previsto na lei".

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".