sicnot

Perfil

Mundo

Netanyahu considera "enganoso" o discurso de Mahmud Abbas na ONU

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, criticou hoje a intervenção do presidente da Autoridade Nacional Palestiniana, Mahmud Abbas, na Assembleia-geral da ONU, que classificou de "enganoso".

© POOL New / Reuters

No seu discurso, Mahmud Abbas disse que o seu lado não podia ser o único comprometido com acordos.

Durante a Assembleia-Geral, o líder palestiniano também apelou a Israel para que "pare com o uso da força bruta (...) particularmente nas suas ações na mesquita de Al-Aqsa", acusando Israel de violar o estatuto do local e de impedir os fiéis de lhe acederem.

Os confrontos das últimas semanas, entre a polícia israelita e cidadãos palestinianos, na zona ocupada de Jerusalém, fez aumentar a tensão e levou Abbas a alertar para o risco de um levantamento ou de uma terceira intifada.

Em reação, o gabinete de Benjamin Netanyahu considerou o discurso de Abbas "enganoso" e "encorajador" da ação anti-israelita e da destruição no Médio Oriente.

"Ao contrário dos palestinianos, Israel preserva o 'status quo' no Monte do Templo [onde está situada a mesquita de Al-Aqsa] e está empenhado em mantê-lo", continuou Netanyahu.

Os judeus estão autorizados a visitar o Monte do Templo, que veneram como um lugar sagrado, mas estão proibidos de rezar no local.

Abbas também acusou Israel de recusar comprometer-se com acordos anteriores, deixando os palestinianos sem outra opção que não seja lembrar "que não serão os únicos comprometidos com a implementação desses acordos, enquanto Israel continua a violá-los".

Por seu lado, Netanyahu apelou a Abbas para que aceite a sua oferta e se comprometa em negociações diretas com Israel, sem condições prévias, e o seu gabinete considerou que "o facto de esta oferta ser recusada uma vez após outra é a melhor prova de que ele [Abbas] não está à procura de um acordo de paz".

Lusa

  • 10 Minutos com Ana Catarina Mendes
    10:28

    10 Minutos

    A secretária geral adjunta do PS diz que não percebe porque é que o PSD levou tanto tempo a escolher o candidato à Câmara de Lisboa. Em entrevista no 10 Minutos da SIC Noticias, Ana Catarina Mendes considerou ainda que Pedro Passos Coelho não tem estado à altura de um líder da oposição. Quanto às legislativas, entende que o PS deve concorrer sozinho às eleições.

    Entrevista na íntegra

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.