sicnot

Perfil

Mundo

Netanyahu considera "enganoso" o discurso de Mahmud Abbas na ONU

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, criticou hoje a intervenção do presidente da Autoridade Nacional Palestiniana, Mahmud Abbas, na Assembleia-geral da ONU, que classificou de "enganoso".

© POOL New / Reuters

No seu discurso, Mahmud Abbas disse que o seu lado não podia ser o único comprometido com acordos.

Durante a Assembleia-Geral, o líder palestiniano também apelou a Israel para que "pare com o uso da força bruta (...) particularmente nas suas ações na mesquita de Al-Aqsa", acusando Israel de violar o estatuto do local e de impedir os fiéis de lhe acederem.

Os confrontos das últimas semanas, entre a polícia israelita e cidadãos palestinianos, na zona ocupada de Jerusalém, fez aumentar a tensão e levou Abbas a alertar para o risco de um levantamento ou de uma terceira intifada.

Em reação, o gabinete de Benjamin Netanyahu considerou o discurso de Abbas "enganoso" e "encorajador" da ação anti-israelita e da destruição no Médio Oriente.

"Ao contrário dos palestinianos, Israel preserva o 'status quo' no Monte do Templo [onde está situada a mesquita de Al-Aqsa] e está empenhado em mantê-lo", continuou Netanyahu.

Os judeus estão autorizados a visitar o Monte do Templo, que veneram como um lugar sagrado, mas estão proibidos de rezar no local.

Abbas também acusou Israel de recusar comprometer-se com acordos anteriores, deixando os palestinianos sem outra opção que não seja lembrar "que não serão os únicos comprometidos com a implementação desses acordos, enquanto Israel continua a violá-los".

Por seu lado, Netanyahu apelou a Abbas para que aceite a sua oferta e se comprometa em negociações diretas com Israel, sem condições prévias, e o seu gabinete considerou que "o facto de esta oferta ser recusada uma vez após outra é a melhor prova de que ele [Abbas] não está à procura de um acordo de paz".

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.