sicnot

Perfil

Mundo

Nicolás Maduro denuncia na ONU alegada operação contra a Venezuela

O Presidente venezuelano Nicolás Maduro denunciou nas Nações Unidas que está em curso uma operação contra o seu país e pediu à comunidade internacional para estar alerta face à proximidade das eleições gerais de dezembro no seu país.

Richard Drew

"Peço ao mundo para estar muito atento a qualquer tentativa de perturbar a vida política da Venezuela", disse Maduro na sua intervenção feita terça-feira perante a 70.ª Assembleia-Geral da ONU.

O chefe de Estado venezuelano considerou que está em curso o que denominou de "operação alicate" contra o seu país, para criar conflitos fronteiriços com a Colômbia e a Guiana.

As declarações de Nicolás Maduro foram feitas um dia depois de a Guiana acusar a Venezuela de recorrer a técnicas de "intimidação" e de "agressão", pelo que pediu à organização uma solução definitiva para o diferendo territorial entre os dois países, numa zona onde a petrolífera norte-americana Exxon Mobil descobriu uma importante jazida de petróleo.

Relativamente à Colômbia, cujas fronteiras a Venezuela Nicolás Maduro decidiu encerrar desde 24 de agosto, por 60 dias, para combater grupos paramilitares, o narcotráfico e o contrabando, o Presidente venezuelano recordou que há cerca de uma semana reuniu-se em Quito com o seu homólogo colombiano Juan Manuel Santos.

Ainda durante a sua intervenção, Maduro defendeu uma "transformação profunda" da ONU, uma "nova geopolítica" em que, disse, "se imponha a verdade dos povos".

Por outro lado instou o Presidente dos EUA, Barack Obama, a derrogar as sanções em vigor contra funcionários do Governo venezuelano e um recente decreto que considera a Venezuela uma ameaça para a segurança interna norte-americana.

Lusa