sicnot

Perfil

Mundo

Furacão 'Joaquín' mais forte e extremamente perigoso

O furacão 'Joaquín' passou hoje à categoria quatro, numa escala de 5, tornando-se "extremamente perigoso", segundo os meteorologistas, enquanto a costa leste dos Estados Unidos se prepara para um fim de semana de chuva intensa.

© NOAA NOAA / Reuters

Com ventos de 210 quilómetros por hora e que podem tornar-se mais fortes nas próximas 24 horas, o furacão, que se move na zona das Bahamas, pode causar severos danos materiais e humanos, estando já em marcha planos de emergência.

Nas Bahamas foram cancelados diversos voos e os populares cruzeiros estão a ser reencaminhados para outros locais, havendo previsões de que a chuva fará subir o nível das águas em três metros em redor de algumas das ilhas do centro do arquipélago.

Às 19:00 de Lisboa, o olho do furacão estava 113 quilómetros a sul da ilha de São Salvador, sendo esperadas chuvas torrenciais nas Carolinas (do Norte e do Sul) e na Virgínia, que já se encontra em estado de emergência devido às chuvas de terça-feira e onde se teme que os ventos tenham um impacto destrutivo.

'Joaquín' é o terceiro furação no período que vai de junho a setembro, sendo que, no início do ano, os meteorologistas haviam alertado que a temperatura da água no Atlântico estava abaixo da média, havendo uma relação cientificamente comprovada entre águas mais mornas e a formação de furacões agressivos.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.