sicnot

Perfil

Mundo

Rússia considera "infundadas" acusações de que ataques aéreos não visaram o Estado Islâmico

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, classificou hoje de "infundadas" as acusações de que os ataques aéreos de Moscovo na Síria não tenham visado alvos do grupo Estado Islâmico e que tenham atingido civis.

© MAXIM ZMEYEV / Reuters


"Os rumores de que os alvos destes ataques aéreos não são as posições do Estado Islâmico são infundados", disse Sergei Lavrov aos jornalistas, após uma reunião com o seu homólogo norte-americano, John Kerry, em Nova Iorque, acrescentando que "não tinha dados" sobre vítimas mortais civis.

A força aérea russa realizou na quarta-feira o primeiro bombardeamento na Síria, a pedido do Presidente Bashar al-Assad, tendo a intervenção militar suscitado dúvidas, em muitos países ocidentais, sobre os alvos visados: elementos do grupo extremista Estado Islâmico ou rebeldes.

Khaled Khoja, líder da oposição síria no exílio, afirmou que 36 civis morreram no ataque russo em Homs e acusou a Rússia de estar a agir para manter Al-Assad no poder e não para atingir o Estado Islâmico.

O secretário da Defesa norte-americano, Ashton Carter, também afirmou hoje que a intervenção da Rússia na Síria está "condenada ao fracasso".

Os Estados Unidos lideram a coligação internacional que combate o grupo extremista Estado Islâmico.

Lusa

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC