sicnot

Perfil

Mundo

Pessoas mais altas têm maior risco de cancro

Um estudo sueco relaciona a altura com um maior probabilidade de desenvolvimento de cancro da mama ou de pele.

A brasileira Elisany Silva tem 14 anos e mede 2.06 metros.

A brasileira Elisany Silva tem 14 anos e mede 2.06 metros.

© Paulo Santos / Reuters

Por cada 10 cm extra de altura, o risco aumenta em 18% nas mulheres e em 11% nos homens, revela a investigação que examinou 5 milhões de pessoas e que foi apresentado numa conferência da European Society for Paediatric Endocrinology.

Os investigadores do Instituto Karolinska em Estocolmo explicaram que acompanharam um grupo de suecos durante mais de 50 anos. As mulheres mais altas tinham mais 20% de probabilidade de desenvolver cancro da mama, homens e mulheres mais altos tinham mais 30% de risco de melanoma.

Estudos anteriores tinham já demonstrado este aumento de probabilidades, embora não se saiba ainda o porquê. Os cientistas afirmam que a altura não é a causa de desenvolvimento de cancros, mas as pessoas mais altas têm factores de crescimento mais elevados e mais células no seu corpo - o que aumenta o rsico de uma delas se "transformar" em cancro - e mais necessidade de ingerir alimentos - outro factor que aumenta os riscos.

"Um cancro surge após mutações de uma única célula. Pessoas maiores têm mais células", explica à BBC Dorothy Bennett, responsável pelo centro de investigação de células na Universidade St George em Londres.

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.