sicnot

Perfil

Mundo

Governo iraquiano abre "zona verde" de Bagdade à população

O primeiro-ministro iraquiano Haider al-Abadi anunciou este domingo a abertura ao público da "zona verde", perímetro em Bagdade com alta segurança onde se encontra a sede do governo e várias embaixadas.

(Arquivo)

(Arquivo)

© POOL New / Reuters

Ocupada após a invasão de 2003 pelas forças norte-americanas e a embaixada dos Estados Unidos, esta zona com 10 quilómetros quadrados no coração de Bagdade era considerada pelos iraquianos como um símbolo da ocupação americana.

"O primeiro-ministro abriu a zona verde à circulação de pessoas e de veículos", indica um comunicado divulgado pelo gabinete do chefe do Governo, acrescentando que representa o cumprimento de uma promessa feita à população.

Antes da invasão do Iraque pelos norte-americanos, esta zona acolhia o então presidente Saddam Hussein e outros responsáveis do regime, que viviam em palácios faustosos.

Estes palácios foram depois ocupados por forças estrangeiras e pela nova classe política iraquiana, que é atualmente acusada de corrupção generalizada.

As forças norte-americanas retiraram-se do Iraque no final de 2011.

Lusa

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.