sicnot

Perfil

Mundo

Médicos Sem Fronteiras encerram hospital em Kunduz, Afeganistão

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) anunciou este domingo que encerrou a sua atividade na cidade afegã de Kunduz, depois do alegado bombardeamento da aviação norte-americana a um seu hospital, e exigiu uma investigação independente.

O hospital dos MSF era a única instalação médica em toda a região nordeste do Afeganistão, com capacidade para lidar com grandes ferimentos de guerra e o seu encerramento, ainda que temporariamente, poderá ter um impacto devastador sobre os civis. (Arquivo)

O hospital dos MSF era a única instalação médica em toda a região nordeste do Afeganistão, com capacidade para lidar com grandes ferimentos de guerra e o seu encerramento, ainda que temporariamente, poderá ter um impacto devastador sobre os civis. (Arquivo)

© Ahmad Masood / Reuters

Segundo a MSF 22 pessoas foram mortas, algumas das quais morreram queimadas nas camas, devido ao bombardeamento, que durou mais de uma hora, mesmo depois de Estados Unidos e as autoridades afegãs terem sido informados que o hospital havia sido atingido, noticia a AFP.

O hospital dos MSF era a única instalação médica em toda a região nordeste do Afeganistão, com capacidade para lidar com grandes ferimentos de guerra e o seu encerramento, ainda que temporariamente, poderá ter um impacto devastador sobre os civis.

"O hospital dos MSF deixou de funcionar. Todos os pacientes críticos foram encaminhados para outros centros de saúde. Ninguém dos MSF está a trabalhar no hospital", disse à AFP, Kate Stegeman, porta-voz da organização internacional.

Stegeman disse que não estava em condições de confirmar se o centro de traumatologia seria reaberto.

Os MSF condenam os "odiosos" atentados, que foram uma resposta da força da NATO, lideradas pelos Estados Unidos no Afeganistão.

"Presumindo que foi cometido um crime de guerra, os MSF pedem que uma investigação completa e transparente sobre o sucedido, a ser efetuada por um organismo internacional independente", disse o diretor-geral dos MSF Christopher Stokes.

Lusa

  • Dezanove mortos em ataque a hospital no Afeganistão
    1:52

    Mundo

    A Comissão Europeia já condenou o ataque aéreo norte-americano que atingiu o hospital dos Médicos sem Fronteiras, em Kunduz, no Afeganistão. O comandante que lidera as forças americanas pediu entretanto desculpas ao presidente afegão. O bombardeamento matou 12 membros dos Médicos Sem Fronteiras e sete doentes, três dos quais são crianças.

  • Japão ganha nova esperança ao derrotar a Colômbia (2-1)

    Mundial 2018 / Colômbia

    No primeiro jogo do grupo H, a Colômbia foi derrotada pelo Japão. Um dos momentos altos do jogo aconteceu logo ao minuto 4 quando, na sequência de uma falta de Carlos Sanchez, o árbitro assinalou um penálti a favor da equipa japonesa. O colombiano levou um cartão vermelho, depois de ter intercetado um remate do Japão com a mão. Apesar da desvantagem numérica, a Colômbia iguala o marcador aos 39 minutos com um livre de Quintero. Contudo, Yuya Osako colocou o Japão novamente em vantagem aos 73 min.

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

    SIC

  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43