sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortos devido a tufão no sul da China sobe para 7

O número de mortos devido à passagem do tufão Mujigae, que causou cheias, chuvas torrenciais e ventos superiores a 170 km por hora, no sul da China, subiu hoje para sete, informou a agência oficial Xinhua.

(Arquivo)

(Arquivo)

© China Stringer Network / Reut

Desde domingo, o Mujigae levou à retirada de mais de 66 mil pessoas, destruiu 748 casas e causou prejuízos no valor de 175 milhões de Yuan (24,4 milhões de euros).

Na Região Autónoma Zhuang, na província de Guangxi, o tufão afetou 1,44 milhões de pessoas até às 13:00 de hoje na China, segundo as autoridades. Em Nanning, capital da província, uma pessoa morreu quando uma árvore lhe caiu em cima.

Na cidade de Foshan, o tufão causou três mortos, enquanto 16 pescadores estão desaparecidos e um morreu, na cidade costeira de Zhanjiang, província de Guangdong.

Voos e comboios foram cancelados nas províncias de Guangdong, Guangxi e Hainan, numa altura em que milhões de chineses gozam uma semana de férias.

O Mujigae é o vigésimo primeiro tufão a atingir a China este ano.

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.