sicnot

Perfil

Mundo

Governo do Canadá reafirma oposição ao uso do véu islâmico em cerimónia oficial

O Governo do Canadá reafirmou esta terça-feira a sua oposição ao uso do 'niqab' em cerimónias de juramento de cidadania, após um tribunal de justiça ter aprovado a petição de uma mulher muçulmana para usar o véu islâmico.

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

© Ammar Awad / Reuters

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

O Tribunal federal de justiça rejeitou ontem o requerimento do Governo do primeiro-ministro Stephen Harper.

Hoje, Ishaq manifestou a sua satisfação pela decisão do tribunal, mas acrescentou estar "dececionada com a atenção do Governo" ao seu caso e "quando neste momento há muitas outras coisas que merecem a atenção dos canadianos".

O primeiro-ministro e líder do Partido Conservador assinalou que caso seja reeleito nas legislativas de 19 de outubro apresentará um projeto-lei para impedir o uso do 'niqab' nas cerimónias de cidadania.

Harper reafirmou hoje durante uma iniciativa eleitoral o desejo de proibir o véu islâmico, ao considerar que o seu uso no decurso das cerimónias de cidadania contraria os valores dos canadianos.

O uso do 'niqab' nesta cerimónia oficial converteu-se num dos temas mais controversos da campanha eleitoral no Canadá, apesar de apenas duas mulheres, incluindo Ishaq, terem solicitado a sua utilização.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52