sicnot

Perfil

Mundo

Governo do Canadá reafirma oposição ao uso do véu islâmico em cerimónia oficial

O Governo do Canadá reafirmou esta terça-feira a sua oposição ao uso do 'niqab' em cerimónias de juramento de cidadania, após um tribunal de justiça ter aprovado a petição de uma mulher muçulmana para usar o véu islâmico.

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

© Ammar Awad / Reuters

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

O Tribunal federal de justiça rejeitou ontem o requerimento do Governo do primeiro-ministro Stephen Harper.

Hoje, Ishaq manifestou a sua satisfação pela decisão do tribunal, mas acrescentou estar "dececionada com a atenção do Governo" ao seu caso e "quando neste momento há muitas outras coisas que merecem a atenção dos canadianos".

O primeiro-ministro e líder do Partido Conservador assinalou que caso seja reeleito nas legislativas de 19 de outubro apresentará um projeto-lei para impedir o uso do 'niqab' nas cerimónias de cidadania.

Harper reafirmou hoje durante uma iniciativa eleitoral o desejo de proibir o véu islâmico, ao considerar que o seu uso no decurso das cerimónias de cidadania contraria os valores dos canadianos.

O uso do 'niqab' nesta cerimónia oficial converteu-se num dos temas mais controversos da campanha eleitoral no Canadá, apesar de apenas duas mulheres, incluindo Ishaq, terem solicitado a sua utilização.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.