sicnot

Perfil

Mundo

Governo do Canadá reafirma oposição ao uso do véu islâmico em cerimónia oficial

O Governo do Canadá reafirmou esta terça-feira a sua oposição ao uso do 'niqab' em cerimónias de juramento de cidadania, após um tribunal de justiça ter aprovado a petição de uma mulher muçulmana para usar o véu islâmico.

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

© Ammar Awad / Reuters

O Governo canadiano tinha solicitado aos tribunais para suspenderem a execução de várias sentenças que autorizam a uso do véu islâmico a Zunera Ishaq, uma muçulmana que pretende participar na sua cerimónia de juramento da cidadania cobrindo o rosto com o 'niqab'.

O Tribunal federal de justiça rejeitou ontem o requerimento do Governo do primeiro-ministro Stephen Harper.

Hoje, Ishaq manifestou a sua satisfação pela decisão do tribunal, mas acrescentou estar "dececionada com a atenção do Governo" ao seu caso e "quando neste momento há muitas outras coisas que merecem a atenção dos canadianos".

O primeiro-ministro e líder do Partido Conservador assinalou que caso seja reeleito nas legislativas de 19 de outubro apresentará um projeto-lei para impedir o uso do 'niqab' nas cerimónias de cidadania.

Harper reafirmou hoje durante uma iniciativa eleitoral o desejo de proibir o véu islâmico, ao considerar que o seu uso no decurso das cerimónias de cidadania contraria os valores dos canadianos.

O uso do 'niqab' nesta cerimónia oficial converteu-se num dos temas mais controversos da campanha eleitoral no Canadá, apesar de apenas duas mulheres, incluindo Ishaq, terem solicitado a sua utilização.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15