sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 1.800 pessoas socorridas no Mediterrâneo na 2ª feira

Mais de 1.800 pessoas, em barcos e botes pneumáticos, foram socorridas na segunda-feira, em seis operações distintas, ao largo da costa da Líbia, anunciou a Guarda Costeira italiana durante a noite.

reuters

Uma embarcação dos guarda-costeiros resgatou 717 refugiados, do total de 1.830, e uma segunda outros 115.

Um navio da marinha militar italiana socorreu 117 pessoas.

Nestas operações também participaram duas outras unidades estrangeiras, o irlandês Samuel Beckett, que socorreu 242 pessoas, e o britânico Enterprise, que integra o dispositivo europeu Eunavfor Med, que resgatou 639 pessoas.

Mais de 430 mil pessoas atravessaram o Mediterrâneo desde janeiro e outros 2.750 morreram ou desapareceriam durante a tentativa de atravessamento, segundo a Organização Internacional das Migrações (OIM).

Daquele total, mais de 310 chegaram à Grécia e 121 mil à Itália, segundo a última contagem da OIM, divulgada em 11 de setembro de Genebra.

Uma nova fase da luta contra os traficantes de pessoas vai começar na quarta-feira, permitindo aos navios membros do Eunavfor Med intervirem nas águas internacionais.

Os navios de guerra europeus vão poder operar contra os traficantes, mas na condição de permanecerem em águas internacionais e não entrarem nas águas territoriais líbias.

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.