sicnot

Perfil

Mundo

Joaquin deve chegar sábado a Portugal como depressão extratropical

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) informou hoje, em comunicado, que prevê para sábado períodos de chuva, aumento do vento e agitação marítima provocados pela passagem da depressão extratropical Joaquin.

© NOAA NOAA / Reuters

Segundo o IPMA, o furacão Joaquin passou a tempestade tropical e deve aproximar-se de Portugal no sábado, mas já como depressão extratropical.

A tempestade Joaquin encontra-se no Atlântico e "passou a ser classificado como tempestade tropical, com a consequente diminuição da intensidade do vento no seu centro", refere o instituto.

Nos próximos dias, as previsões do IPMA indicam que a tempestade tropical vai deslocar-se em direção à Europa, mas vai enfraquecer e poderá perder as suas características tropicais, tornando-se numa depressão extratropical.

"Um dos cenários mais prováveis será que esta depressão se aproxime da Península Ibérica no próximo 10 de outubro (sábado) ", refere o IPMA.

Para sábado, o IPMA prevê períodos de chuva, intensificação do vento e aumento da agitação marítima.

"Convém salientar que existe alguma incerteza associada à trajetória da depressão, pelo que pode haver alterações no cenário meteorológico", sublinha o instituto.

Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.