sicnot

Perfil

Mundo

Indonésia aceita ajuda internacional para combater incêndios

A Indonésia aceitou ajuda internacional para combater os incêndios florestais e agrícolas que geraram uma nuvem de fumo que há semanas envolve os países vizinhos.

© Antara Photo Agency / Reuters


Os incêndios ilegais, usados para limpar terrenos para plantações na Indonésia, afetaram as vizinhas Malásia e Singapura, atingidas por uma nuvem de fumo, que fez diminuir a qualidade do ar e obrigou ao encerramento de escolas e a cancelar eventos no exterior.

Jacarta destacou cerca de 25 mil efetivos e aviões para combater as chamas na ilha de Sumatra e na parte indonésia do Bornéu, mas os bombeiros encontraram dificuldades em controlar os fogos.

Inicialmente, as autoridades indonésias rejeitaram ajuda de Singapura -- com a tensão entre os países a escalar --, mas fontes oficiais disseram hoje que o Presidente Joko Widodo anunciou que aceitaria assistência internacional.

"Acordámos que vamos cooperar com vários parceiros nos nossos esforços para combater os incêndios", disse à AFP o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Indonésia, Arrmanatha Nasir.

"Estamos a trabalhar com vários países, incluindo Singapura", acrescentou.

Países como a Malásia, Rússia, Austrália e China vão também prestar assistência.

Lusa

  • Todos os distritos sob Aviso Amarelo devido ao frio

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou Portugal continental sob Aviso Amarelo na quarta e na quinta-feira. Os termómetros vão estar abaixo de zero em todo o território, à exceção dos distritos de Lisboa, Porto e Faro.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.