sicnot

Perfil

Mundo

EUA felicitam grupos da sociedade civil da Tunísia por Nobel da Paz

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, felicitou hoje os grupos da sociedade civil da Tunísia que venceram o prémio Nobel da Paz por contribuição para uma democracia pluralista no país.

Susan Walsh

"O prémio de hoje é também um tributo à perseverança e à coragem do povo tunisino que, em face de assassínios políticos e ataques terroristas, se juntou num espírito de unidade, compromisso e tolerância", disse, em comunicado, Barack Obama.

O Comité Nobel Norueguês atribuiu hoje o Prémio Nobel da Paz ao Quarteto para o Diálogo Nacional na Tunísia pela contribuição para a construção de uma democracia pluralista após a Revolução de Jasmim de 2011.

O Quarteto integra quatro "organizações chave" da sociedade civil tunisina: A União Geral dos Trabalhadores da Tunísia (UGTT), A Confederação de Indústria, Comércio e Artesanato da Tunísia (UTICA), A Liga dos Direitos Humanos da Tunísia (LDHT) e da Ordem Nacional dos Advogados da Tunísia (ONAT).

O Quarteto, lembrou o Comité Nobel Norueguês, foi formado no verão de 2013 após o processo de democratização ter ameaçado colapsar após uma onda de assassínios políticos e de manifestações de protesto.

Para o Comité Nobel, as quatro instituições criaram um processo político alternativo e pacífico numa altura em que o país estava à beira de uma guerra civil.

Lusa

  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.

  • Se

    Se Jaime Marta Soares tiver razão, se a ciência e as autoridades não forem - outra vez? - manipuladas pelo poder político, se a investigação - independente - concluir que o fogo começou muito antes da trovoada, então, estamos diante de um dos maiores embustes do Portugal democrático.

    Pedro Cruz

  • A reconstrução da Nacional 236
    1:44
  • Harry admite que ninguém na família real britânica quer ser rei ou rainha

    Mundo

    O príncipe Harry admitiu que nenhum dos mais jovens membros da família real britânica quer ser rei ou rainha. Numa entrevista exclusiva à revista norte-americana Newsweek, na qual aborda temas como a morte da mãe, que perdeu com apenas 12 anos, Harry afirma que ele e o irmão estão empenhados em "modernizar a monarquia".

    SIC