sicnot

Perfil

Mundo

Exército russo diz ter bombardeado "60 alvos terroristas" na Síria

O exército russo declarou esta sexta-feira ter bombardeado "60 alvos terroristas" na Síria nas últimas 24 horas, o que representa implica uma grande intensificação dos ataques russos desde o início da sua intervenção, a 30 de setembro.

Moscovo anunciou pela primeira vez baixas nas fileiras dos combatentes "terroristas" com base na interceção de comunicações de rádio.

Moscovo anunciou pela primeira vez baixas nas fileiras dos combatentes "terroristas" com base na interceção de comunicações de rádio.

Alexander Kots / AP

"Os aviões russos fizeram 67 saídas da base aérea de Hmeimim e bombardearam 60 alvos terroristas" nas províncias de Raqa (leste), Latakia (noroeste), Hama (centro), Idleb (noroeste) e Alepo (noroeste), declarou o chefe-adjunto do Estado-Maior russo, o general Igor Makuchev.

Nos anteriores bombardeamentos, o exército russo indicou entre 10 e 25 alvos atingidos, em média.

"Atingidos pelos aviões russos, os rebeldes estão a sofrer grandes perdas e a ver-se obrigados a mudar de estratégia, a dispersar-se, a camuflar-se cuidadosamente e a esconder-se dentro das localidades", precisou Makuchev.

"Nessas condições propícias aos ataques eficazes, as forças armadas russas continuam a utilizar sistematicamente a aviação e intensificam os bombardeamentos", acrescentou.

Moscovo anunciou pela primeira vez baixas nas fileiras dos combatentes "terroristas" com base na interceção de comunicações de rádio.

Segundo o ministério da Defesa, cujas afirmações não podem ser verificadas de forma independente no terreno, 300 "terroristas" foram mortos nas províncias de Raqa e Alepo, durante os ataques.

Um dos bombardeamentos na província de Raqa "atingiu o estado-maior do grupo Liwa al-Haq, destruído por uma bomba de alta precisão. Segundo comunicações de rádio intercetadas, dois altos responsáveis do grupo Estado Islâmico e cerca de 200 membros morreram" em consequência desse ataque, precisou Makuchev.

Além disso, "cerca de 100 militantes foram mortos" na província de Alepo, de acordo com a mesma fonte.

Os bombardeamentos tinham como alvos "postos de comando, centrais de comunicação, paióis de munições e de combustível e bases de treino dos terroristas", indicou o porta-voz.

Segundo o estado-maior russo, "seis postos de comando e centrais de comunicação, seis depósitos de munições, 17 campos e bases de treino de terroristas" foram destruídos pelos bombardeamentos, embora não tenha precisado em que províncias sírias.

Desde o início da sua intervenção militar na Síria, a 30 de setembro, a Rússia, fiel aliada do regime de Damasco, efetuou bombardeamentos com aviões de combate e a partir de cruzadores posicionados no mar Cáspio, mas não enviou tropas para o terreno.

O exército sírio anunciou na quinta-feira oficialmente o lançamento de uma ofensiva terrestre de grande envergadura com o apoio dos bombardeamentos efetuados pela Rússia, cuja "escalada" está a preocupar a NATO.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC