sicnot

Perfil

Mundo

O "Gosto" do Facebook vai ter seis novos acompanhantes

O famoso botão "Gosto" da rede social Facebook vai deixar de estar sozinho para exprimir a nossa reação a determinada publicação ou fotografia. Em vez do "Não Gosto", serão adicionados outros seis botões, com diferentes tipos de reações.

Uncredited

Uncredited

Uncredited

Um coração para "Adoro" e cinco emoticons para exprimir fúria ("Furioso"), tristeza ("Triste"), surpresa ("Wow"), riso ("Haha") e sorriso ("Yay"): estas serão as novas formas de reagir na rede social, num conteúdo que o Facebook apelida de "Reações".

"Estudámos que comentários e reações são mais comuns e usados com maior regularidade no Facebook", explicou o gestor de produtos da rede social, Chris Cox, acrescentando: "Apesar de não ser o botão do "Não Gosto", esperamos que alcance o espírito desse pedido de uma forma mais exponencial."

"O objetivo principal passava por dar aos utilizadores diferentes formas de expressar aquilo que sentiam", concluiu.

O Facebook revelou ainda que irá testar, para já, este novo conteúdo em Espanha e na Irlanda e, brevemente, espera conceder a todos os utilizadores a possibilidade de usar o "Yay" e o "Haha", numa primeira fase, e posteriormente todas as restantes reações.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.