sicnot

Perfil

Mundo

Nove pessoas, entre as quais crianças, morrem num incêndio próximo de Dublin

Nove pessoas, entre as quais várias crianças, morreram hoje num incêndio junto a uma zona de caravanas e rulotes da comunidade viajante ('travellers'), no sul de Dublin, informou o diretor da polícia irlandesa Diarmuid O'Sullivan.

Peter Morrison

"O que posso dizer neste momento é que morreram nove pessoas e que algumas das vítimas são crianças", afirmou o responsável irlandês aos jornalistas, acrescentando que algumas destas crianças tinham apenas seis meses.

Vários membros de uma família "traveller" terão morrido no incêndio, uma informação que ainda não foi confirmada oficialmente.

Outras pessoas foram transportadas para o hospital devido à inalação de fumo.

As causas do incêndio, que deflagrou por volta das 03:00 GMT em Carrickmines, um subúrbio localizado a cerca de 16 quilómetros de Dublin, estão a ser investigadas.

O presidente irlandês Michael D Higgins classificou o incêndio como uma "terrível tragédia" e enviou condolências às famílias e amigos das vítimas.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras