sicnot

Perfil

Mundo

Nove pessoas, entre as quais crianças, morrem num incêndio próximo de Dublin

Nove pessoas, entre as quais várias crianças, morreram hoje num incêndio junto a uma zona de caravanas e rulotes da comunidade viajante ('travellers'), no sul de Dublin, informou o diretor da polícia irlandesa Diarmuid O'Sullivan.

Peter Morrison

"O que posso dizer neste momento é que morreram nove pessoas e que algumas das vítimas são crianças", afirmou o responsável irlandês aos jornalistas, acrescentando que algumas destas crianças tinham apenas seis meses.

Vários membros de uma família "traveller" terão morrido no incêndio, uma informação que ainda não foi confirmada oficialmente.

Outras pessoas foram transportadas para o hospital devido à inalação de fumo.

As causas do incêndio, que deflagrou por volta das 03:00 GMT em Carrickmines, um subúrbio localizado a cerca de 16 quilómetros de Dublin, estão a ser investigadas.

O presidente irlandês Michael D Higgins classificou o incêndio como uma "terrível tragédia" e enviou condolências às famílias e amigos das vítimas.

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".