sicnot

Perfil

Mundo

Al-Qaeda na Síria chama islâmicos para combater o regime apoiado pela Rússia

A filial da Al-Qaeda na Síria apelou hoje às fações islâmicas e rebeldes para uma mobilização geral contra a ofensiva militar do regime sírio apoiado pela Rússia, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

© Ammar Abdullah / Reuters

Num comunicado citado pela agência Efe, esta organização não governamental afirma que o dirigente da organização, Abdalá al Mehaisini, lançou uma convocatória numa mensagem de vídeo recebida pelo Observatório, com sede em Londres e com uma vasta rede ativistas no território sírio.

Na mensagem, o terrorista sírio pede que "ninguém permaneça sentado, porque estamos a preparar uma grande ação", e acrescenta: "Devemos mudar a situação [da luta contra o regime] e manter a iniciativa [dos extremistas] que os infiéis [o regime e a Rússia] querem lançar contra os combatentes".

A Rússia, uma aliada do regime de Damasco, começou a sua campanha de bombardeamentos na Síria no passado dia 30 de setembro, na sua primeira intervenção direta no conflito neste país, que começou em marco de 2011.

Doze dias depois do início da campanha aérea russa, as tropas do regime sírio estavam a avançar contra os rebeldes em duas frentes: na província central de Hama, e na parte norte, na província de Latakia.

O envolvimento da Rússia está a complicar os esforços da coligação liderada pelos Estados Unidos contra o autoproclamado Estado Islâmico, através de bombardeamentos.

Washington e Moscovo já se reuniram para evitar acidentes militares no cada vez mais apinhado espaço aéreo da Síria: "As discussões foram profissionais e focaram-se essencialmente na implementação de procedimentos de segurança específicos", disse um porta-voz do Departamento da Defesa dos Estados Unidos, que especificou que o objetivo era "promover a segurança das operações de voo sobre a Síria".

Lusa

  • Moutinho continua sem treinar, Raphael Guerreiro recuperou
    1:35
  • Jorge Jesus emocionado à partida para o Al Hilal
    1:26

    Desporto

    O treinador Jorge Jesus está de partida para a Arábia Saudita, onde vai orientar o Al Hilar. Este sábado, no Aeroporto de Lisboa, emocionou-se quando questionado sobre o que mais lhe custa deixar: "a família e os amigos". Mas também se mostrou certo de que em breve voltará a Portugal.

  • Marcelo já teve alta após "queda abrupta de tensão"
    2:53
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28