sicnot

Perfil

Mundo

Irmãs separadas em criança na Coreia do Sul reencontram-se em adultas nos EUA

Duas irmãs separadas há mais de 30 anos na Coreia do Sul, reencontraram-se num hospital nos Estados Unidos.

Dan Wagner/AP

Eun-Sook, atualmente conhecida por Meagan Hughes, foi retirada pela mãe ao pai, alcóolico, ainda muito pequena. A meia-irmã, Pok-nam Shin (agora Holly Hoyle O'Brien) permaneceu aos cuidados do pai. Quando este morreu, A pequena Pok-nam deu entrada num orfanato em Pusan. Tinha 5 anos. Aos 9, acabou por ser adotada por um casal norte-americano que lhe deu o novo nome e a levou para a Virgínia, nos Estados Unidos.

A sua meia-irmã, Eun-Sook, também tem memórias de um orfanato, mas não se lembra da sua mãe biológica ou do que lhe terá acontecido. Em 1976, foi igualmente adotada por uma família americana e cresceu no Estado de Nova Iorque.

No início deste ano, ao fim de mais de 30 anos, O'Brien foi contratada como enfermeira assistente para o quarto piso de um Hospital da Florida. Três meses mais tarde, Hughes - a sua meia-irmã- começou a trabalhar no mesmo piso. As duas faziam o mesmo turno e rapidamente começaram uma amizade.

A lista de coincidências nas suas vidas começou a aumentar. As duas eram sul-coreanas, tinham sido adotadas por famílias americanas e viviam nos EUA. Movidas pela curiosidade, as duas fizeram testes de ADN. Realizados no Canadá, os testes provaram que as duas são irmãs.

"Estava a tremer, tão excitada. Estava eufórica", admitiu O'Brien.

"Meu Deus, estou em choque, sinto-me dormente. Tenho uma irmã", confessou Hughes.