sicnot

Perfil

Mundo

Merkel defende política de acolhimento apesar de queda nas sondagens

A chanceler alemã Angela Merkel afirmou, numa entrevista que será divulgada hoje, que continua a defender a sua política de acolhimento de refugiados na Alemanha, garantindo ser pouco sensível à diminuição da sua popularidade mostrada nas sondagens.

© Wolfgang Rattay / Reuters

"Para mim, faz parte da humanidade fundamental do nosso país o acolher com simpatia um refugiado ou como qualquer outro ser humano", disse a chanceler ao diário alemão Bild.

"As sondagens não são a minha medida padrão", sublinhou Angela Merkel, numa altura em que a popularidade de seu partido, o CDU, caiu para o nível mais baixo dos últimos dois anos, devido a tensões causadas pelo grande afluxo refugiados à Alemanha.

Angela Merkel tem enfrentado cada vez mais críticas à sua política de abertura do país aos refugiados, mas voltou a apelar, na entrevista, a solidariedade da parte da Europa.

"Toda a Europa deve trabalhar para a segurança das fronteiras da União Europeia e para uma distribuição equitativa dos refugiados entre os Estados-membros. E também se deve agir para além da Europa", defendeu a chanceler alemã.

Merkel prometeu acelerar a construção de habitações para melhor acomodar os migrantes na Alemanha, país que espera que, este ano, sejam apresentados entre 800 mil e um milhão de pedidos de asilo.

Lusa

  • António Costa evita perguntas sobre estágios não remunerados
    1:55
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14