sicnot

Perfil

Mundo

Polícia suspende vigilância permanente a Assange na embaixada do Equador

A polícia britânica anunciou hoje que vai deixar de vigiar 24 horas por dia a embaixada do Equador em Londres, onde Julian Assange está refugiado desde 2012, mas que vai reforçar ações cobertas para impedir uma fuga.

© Peter Nicholls / Reuters

"O Serviço Metropolitano de Polícia retirou hoje a presença física de agentes do exterior da embaixada", informou a polícia num comunicado.

"Embora nenhuma medida garanta o êxito [de uma operação] caso Julian Assange deixe a embaixada, a polícia vai mobilizar uma série de ações visíveis e ocultas para o deter", acrescentou.

O comunicado refere que "não há uma perspetiva iminente de uma resolução diplomática ou legal" da situação do fundador do portal Wikileaks, pelo que, tendo em conta os "recursos finitos" da polícia e as "tantas ameaças diferentes" à segurança de Londres, a presença permanente de agentes "é desproporcionada".

Segundo o 'site' govwaste.co.uk, criado pelo Wikileaks para denunciar "o desperdício" de fundos do governo britânico com a vigilância de Assange, a presença policial junto à representação diplomática já custou 12,59 milhões de libras (16,96 milhões de euros).

Assange, 44 anos, é alvo de um mandado de detenção europeu, tendo-se refugiado na embaixada do Equador em Londres em julho de 2012 por recear que a Suécia o extradite para os Estados Unidos, que o querem julgar pela divulgação de milhares de documentos diplomáticos e militares confidenciais.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15