sicnot

Perfil

Mundo

Polícia suspende vigilância permanente a Assange na embaixada do Equador

A polícia britânica anunciou hoje que vai deixar de vigiar 24 horas por dia a embaixada do Equador em Londres, onde Julian Assange está refugiado desde 2012, mas que vai reforçar ações cobertas para impedir uma fuga.

© Peter Nicholls / Reuters

"O Serviço Metropolitano de Polícia retirou hoje a presença física de agentes do exterior da embaixada", informou a polícia num comunicado.

"Embora nenhuma medida garanta o êxito [de uma operação] caso Julian Assange deixe a embaixada, a polícia vai mobilizar uma série de ações visíveis e ocultas para o deter", acrescentou.

O comunicado refere que "não há uma perspetiva iminente de uma resolução diplomática ou legal" da situação do fundador do portal Wikileaks, pelo que, tendo em conta os "recursos finitos" da polícia e as "tantas ameaças diferentes" à segurança de Londres, a presença permanente de agentes "é desproporcionada".

Segundo o 'site' govwaste.co.uk, criado pelo Wikileaks para denunciar "o desperdício" de fundos do governo britânico com a vigilância de Assange, a presença policial junto à representação diplomática já custou 12,59 milhões de libras (16,96 milhões de euros).

Assange, 44 anos, é alvo de um mandado de detenção europeu, tendo-se refugiado na embaixada do Equador em Londres em julho de 2012 por recear que a Suécia o extradite para os Estados Unidos, que o querem julgar pela divulgação de milhares de documentos diplomáticos e militares confidenciais.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".