sicnot

Perfil

Mundo

Rui Machete rejeita intervenção portuguesa no caso das detenções em Angola

Rui Machete rejeita intervenção portuguesa no caso das detenções em Angola

O ministro dos Negócios Estrangeiros diz que Portugal não vai intervir na questão da prisão dos 15 ativistas angolanos, sublinhando que se trata de um assunto da Justiça de Angola. Rui Machete adiantou, no entanto, que na próxima quarta-feira Portugal vai participar numa reunião entre os embaixadores da União Europeia e o ministro da Justiça angolano. Entre os 15 jovens detidos desde junho, está o músico Luaty Beirão, que entrou esta segunda-feira no 22º dia de greve de fome, em protesto contra a prisão preventina que já ultrapassou o prazo previsto pela lei angolana.

  • Televisão angolana refere-se pela 1ª vez a Luaty Beirão sem mencionar greve de fome

    Mundo

    Luaty Beirão é um dos rostos mais visíveis da contestação ao regime angolano. O luso angolano, em greve de fome há 21 dias, permanece em estado crítico. Este fim de semana foi transferido para um hospital-prisão e continua a recusar ingerir alimentos ou soro. Este sábado, no dia em que Luaty foi transferido para o hospital prisão, a Televisão Pública de Angola (TPA) referiu-se pela primeira vez ao caso, sem nunca falar em greve de fome. Nas palavras da TPA, Luaty Beirão está debilitado porque passou a ter um comportamento diferente em relação aos alimentos.

  • Portugal reúne com o ministro da justiça angolano sobre Luaty Beirão
    0:51

    País

    Portugal vai participar numa reunião com o ministro da Justiça angolano sobre Luaty Beirão e outros detidos em prisão preventiva. A confirmação é do ministro dos Negócios Estrangeiros. Rui Machete diz que Portugal está a acompanhar a situação do ativista luso-angolano em greve de fome há 22 dias, mas que não vai interferir nas questões de justiça interna de Angola.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC