sicnot

Perfil

Mundo

Suspeito de assalto à mão armada foge em carro da Uber

Um homem suspeito de assalto a mão armada numa loja de Parkville, nos Estados Unidos, chamou um carro operado pela Uber para fugir do local do crime.

Baltimore County Police Department

O caso aconteceu na semana passada. Dashawn Terrell Cochran, 23 anos, estava numa loja da cadeia Royal Farms em Parkville, no Maryland, quando alegadamente terá entregue um frasco de Tylenol na caixa, quando apontou uma arma ao funcionário, exigindo-lhe todo o dinheiro da registadora.

O homem saiu depois a correr da loja, mas no seu encalço seguiu uma unidade policial, que entretanto recebeu a sua descrição.

Cochran foi visto a entrar para um Lexus prateado. Quando a polícia mandou para o carro, o motorista afirmou ser da Uber. O morotista, bem como um segundo passageiro, foram libertados, depois da polícia garantir que "nada tinha a ver com o assalto".

Dashawn Terrell Cochran foi detido, acusado de assalto à mão armada.

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.