sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan anuncia abertura de inquérito ao ataque de sábado na Turquia

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, admitiu hoje possíveis "falhas de Estado" e anunciou a abertura de um inquérito ao ataque de sábado em Ancara, no qual morreram 97 pessoas, mas recusou a demissão de ministros.

© Stringer Turkey / Reuters

"Demitir de imediato, não é uma solução. Se tiver havido negligência serão dados os passos necessários, ninguém o duvide", afirmou Erdogan.

Questionado, pela oposição política, sobre o seu papel no mais recente ataque no país, o chefe de Estado disse que pediu ao Conselho Estatal de Controlo para iniciar uma investigação ao ocorrido.

Aquele conselho tem poderes para investigar todos os órgãos de Estado da Turquia, excetuando as forças de defesa e o sistema judicial.

Na sua primeira aparição pública, depois do duplo atentado suicida de sábado, Erdogan recusou demitir os ministros do Interior e da Justiça, como pediu a oposição.

Para o Presidente da Turquia, a autoria do atentado deverá ter sido do grupo extremista Estado Islâmico, como já defendeu o Governo.

"No nosso país há organizações que realizaram atos contra a Turquia e que saíram do Estado Islâmico, originário da Síria e do Iraque", admitiu Erdogan.

A imprensa turca noticiava hoje que as investigações se centram num círculo 'jihadista' do sudeste da Turquia, conhecido pela polícia desde há meses por estar envolvido em outros atentados à bomba em junho e julho.

Lusa

  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.