sicnot

Perfil

Mundo

Homem sobrevive seis dias num deserto australiano alimentando-se de formigas

Um homem de 62 anos sobreviveu durante seis dias num remoto deserto do oeste da Austrália, sem água e a alimentar-se à base de formigas, informam hoje os 'media' locais.

Reuters

Reginald George Foggerdy foi caçar, na quarta-feira, com o seu irmão numa zona desértica situada a cerca de 170 quilómetros da localidade de Laverton, no interior do estado da Austrália Ocidental.

O seu irmão alertou a polícia depois de notar a sua ausência, tendo as autoridades encontrado Reginald George Foggerdy a cerca de 15 quilómetros da sua tenda de campanha, após realizar buscas por terra e por ar.

O homem estava "extremamente desidratado e um pouco delirante (...) não bebeu água durante seis dias", disse o porta-voz da polícia Andy Greatwood à cadeia televisiva ABC, indicando que o caçador passou os últimos dias debaixo de uma árvore e a comer formigas negras.

A mulher do caçador, Arlyn, considerou um "milagre" a sobrevivência de Foggerdy.

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.