sicnot

Perfil

Mundo

Israel usará "todos os meios" disponíveis para acabar com a violência palestiniana

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, afirmou hoje que Israel irá usar "todos os meios" à sua disposição para acabar com a violência palestiniana, referindo ainda que novas medidas de segurança estão a ser planeadas.

© POOL New / Reuters

"Vamos usar todos os meios à nossa disposição para restaurar a calma", disse Benjamin Netanyahu, numa intervenção diante do Parlamento israelita.

O governo "vai decidir ainda hoje medidas fortes suplementares" que " produzam efeitos no terreno o mais rápido possível", reforçou.

Na mesma intervenção, Netanyahu advertiu o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas, de que o governo israelita irá responsabilizá-lo caso exista uma maior deterioração da situação, depois de quase duas semanas marcadas por vários incidentes violentos entre israelitas e palestinianos, incluindo ataques com armas brancas.

O chefe do governo israelita pediu ainda a Abbas que garanta o fim das "incitações ao ódio" do lado palestiniano.

"Em caso de agravamento da situação na sequência de incitações ao ódio, [Mahmud Abbas] será responsabilizado", concluiu.

A violência entre israelitas e palestinianos registou hoje um novo episódio, com a morte de três israelitas em dois ataques em Jerusalém.

Também hoje um palestiniano foi morto em Belém, a sul de Jerusalém na Cisjordânia ocupada, durante confrontos com o exército israelita, segundo indicaram fontes médicas palestinianas.

Segundo uma porta-voz do exército israelita, os soldados dispararam contra um homem que estava a preparar o lançamento de um engenho incendiário contra um veículo militar e que representava uma "ameaça imediata".

Com a morte de Moataz Zawahra, de 28 anos e oriundo do campo de refugiados de Dheicheh em Belém, o número de vítimas mortais desta nova vaga de violência, que teve início a 01 de outubro, já ronda as quatro dezenas: cerca de 30 palestinianos e sete israelitas.

Lusa

  • Lei existe há quatro anos mas não tem regulamentação
    2:03
  • Denúncia de maus tratos a cães no canil municipal de Elvas
    2:24

    País

    O Grupo de Intervenção e Resgate Animal denunciou nas redes sociais alegados maus tratos a animais no canil municipal de Elvas. As imagens mostram uma cadela com uma corda ao pescoço. A autarquia abriu um inquérito para averiguar o caso, suspendendo também o trabalho dos voluntários no canil.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Dois em cada três portugueses vivem vidas sedentárias

    País

    Com menos de hora e meia de exercício semanal, mais de dois terços dos portugueses vivem vidas sedentárias. E a maioria desvaloriza a importância da atividade física, segundo um inquérito divulgado esta quinta-feira pela Fundação Portuguesa de Cardiologia.

  • Estados Unidos vão reforçar as sanções à Coreia do Norte
    1:31

    Mundo

    Washington pretende também investir nos esforços diplomáticos para que Pyongyang ponha fim aos programas nucleares e de mísseis. A nova estratégia de Donald Trump foi anunciada quarta-feira à noite. A força aérea norte-americana testou esta quarta-feira um míssil de longo-alcance que percorreu 6800 quilómetros sobre o Pacífico a partir de uma base na Califórnia.

  • Le Pen vai à pesca
    0:35

    Eleições França 2017

    Marine Le Pen, candida à presidência de França fez esta quinta-feira uma "pausa" na campanha eleitoral e aproveitou para ir à pesca. A candidata navegou num barco de pesca no Mediterrâneo.

  • Ovibeja aposta este ano na internacionalização da agricultura
    2:07

    País

    A Ovibeja começou esta quinta-feira e este ano aposta na internacionalização dos produtos agrícolas do Alentejo. Centenas de expositores esgotam o certame, que é uma monstra da agricultura portuguesa. António Costa, na sexta-feira, e Marcelo Rebelo de Sousa, no sábado, são alguns dos políticos com a presença marcada em Beja.