sicnot

Perfil

Mundo

Cardeal diz que cultura liberal ocidental e fanatismo islâmico são "Bestas do Apocalipse"

Um destacado cardeal africano descreveu as ameaças do extremismo islâmico e da cultura liberal ocidental como as gémeas "Bestas do Apocalipse" comparáveis ao nazismo e ao comunismo, divulgaram media italianos.

Numa intervenção no sínodo dos bispos sobre o futuro da doutrina católica acerca da família, o cardeal da Guiné-Conacri Robert Sarah considerou que os militantes islamitas e o pensamento ocidental sobre o aborto e a homossexualidade partilham "a mesma origem demoníaca".

"O discernimento teológico permite ver atualmente duas inesperadas ameaças -- quase como as Bestas do Apocalipse -- de duas posições opostas: de um lado a idolatria da liberdade ocidental, do outro o fanatismo religioso", disse o cardeal, um dos líderes da ala conservadora da Igreja.

"O que o nazismo-fascismo e o comunismo foram para o século XX, são hoje a ideologia ocidental sobre a homossexualidade e o aborto e o fanatismo islâmico", referiu a semana passada na reunião dos bispos à porta fechada, segundo divulgaram na terça-feira vários meios de comunicação social italianos.

Sarah considerou que a forma secular de pensar do mundo ocidental ameaça destruir a família através de "divórcios rápidos, aborto, casamentos homossexuais: olhem para a teoria do género, Femen (grupo feminista conhecido pelos protestos em 'topless'), o 'lobby' LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgénero)".

"Por outro lado, existe a pseudo-família de um Islão ideológico que legitima a poligamia, a escravatura sexual e o casamento infantil: olhem para a Al-Qaida, Estado Islâmico, Boko Haram", adiantou.

Para o cardeal, os dois movimentos têm "a mesma origem demoníaca: ambos defendem uma lei universal e totalitária, ambos são violentamente intolerantes, destruidores de famílias e da Igreja e abertamente anti-cristãos".

Sarah, que tem um cargo no Vaticano equivalente ao de ministro, foi um dos cardeais que escreveram uma carta ao papa Francisco na semana passada queixando-se que os procedimentos do sínodo tinham sido manobrados a favor dos liberais que apoiam a reforma da abordagem da Igreja sobre a homossexualidade e o divórcio.

Lusa

  • Carro que atropelou adepto encontrado numa garagem na Amadora
    1:51

    Desporto

    O carro que atropelou o adepto da Fiorentina, junto ao Estádio da Luz, está nas mãos da Polícia Judiciária. O automóvel foi encontrado esta terça-feira por uma brigada da PSP na garagem de um casa da Amadora, que pertence a um elemento da claque dos No Name Boys.

  • Portugueses passam mais de oito horas por semana ao volante
    0:59

    País

    Os portugueses gastam, em média, oito horas em deslocações durante a semana. Um estudo do Observatório Europeu da Mobilidade, divulgado hoje, diz ainda que a grande maioria prefere o automóvel como meio de transporte. Entre os países europeus, Portugal é líder na utilização do carro para deslocação para o trabalho.

  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • PCP abre debate quizenal com assuntos laborais e sociais

    País

    Um dia depois da sessão solene do 25 de Abril, os deputados regressam hoje ao parlamento para mais um debate quinzenal com o primeiro-ministro, que será seguido por uma discussão sobre o Conselho Europeu extraordinário de sábado. Acompanhe aqui em direto às 15h00 e Minuto a Minuto.

  • Portugal subiu cinco lugares no Ranking da Liberdade de Imprensa
    1:42

    País

    Portugal está agora na 18 ª posição em 180 países no relatório deste ano dos Repórteres Sem Fronteiras. Esta associação revela que a imprensa portuguesa foi condenada 21 vezes por violação de liberdade de expressão e por difamação pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.