sicnot

Perfil

Mundo

Obama envia tropas para os Camarões para combater Boko Haram

O Presidente norte-americano, Barack Obama, informou hoje que pretende enviar 300 militares para a República dos Camarões para operações de inteligência, vigilância e reconhecimento. Segundo um comunicado divulgado hoje pela Casa Branca, Barack Obama anunciou que já foram enviadas 90 pessoas armadas para auto-defesa daquele país africano, que foi vítima de ataques da organização fundamentalista islâmica Boko Haram.

© Kevin Lamarque / Reuters

Um alto funcionário do Governo norte-americano revelou à agência de notícias francesa AFP que a operação norte-americana está relacionada com a atividade do Boko Haram, que têm alargado a sua atuação a outras nações africanas (além da Nigéria), como foram os recentes casos ocorridos nos Camarões ou no Chade.

No domingo passado, por exemplo, registaram-se dois atentados suicidas que mataram pelo menos nove pessoas e feriram 29 no norte dos Camarões: duas mulheres-bomba realizaram os ataques numa pastelaria de uma aldeia, segundo declarações da polícia e de locais feitas à AFP.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) veio condenar os atentados e o seu secretário-geral Ban Ki-moon lembrou que só nos últimos quatro meses ocorreram 15 ataques suicidas naquela zona do país.

Entretanto, um outro ataque perpetrado por bombistas suicidas, que atacaram no sábado um mercado de peixe e um campo de refugiados na cidade de Baga Sola, no Chade ocidental, provocaram a morte a pelo menos 41 pessoas e ferimentos a outra meia centena de locais.

Lusa

  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Al Gore e Garry Kasparov vão estar na Web Summit

    Web Summit

    Al Gore, antigo vice-Presidente dos Estados Unidos da América, Garry Kasparov, lendário jogador de xadrez, e Steve Huffman, o dirigente e cofundador da rede social Reddit são os novos nomes anunciados para a 2.ª Web Summit em Lisboa.

  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.