sicnot

Perfil

Mundo

Salário e política influenciam perceção do clima

A forma como percepcionamos o clima é condicionada pelo nosso salário e pelo nosso credo político. É a conclusão de um estudo publicado na revista Environmental Sociology.

Reuters

O estudo incidiu na forma como os residentes das regiões costeiras dos Estados Unidos se sentiram afetados pelas condições adversas do clima, nos últimos cinco anos.

Os democratas, jovens e com maior nível de educação tiveram maior perceção do clima adverso do que os republicanos, conclui a investigação, que vai ao encontro de um outro estudo anterior segundo o qual os republicanos têm maior dificuldade em aceitar as alterações climáticas por não se "encaixarem" nas suas crenças ideológicas.

Por outro lado, sugere o estudo liderado por Matthew J. Culter, as pessoas com menor salário têm mais propensão a afirmar que a sua área é ou foi palco de condições climatéricas severas, que as que auferem maior rendimentos. Cutler explica que tal se deve ao facto das comunidades menos favorecidas estarem mais vulneráveis aos efeitos do clima adverso e terem menos recursos na recuperação dos danos. O que poderá, assim, parecer um incidente menor aos olhos dos mais beneficiados pode ser devastador para os mais desfavorecidos.

O investigador conclui, assim, que o que aparentemente é objetivo - como o clima - não é percecionado de forma igual por todos.

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00

    País

    O episódio de hoje de Vidas Suspensas envolve uma médica dentista norte-americana e um empresário português. Um exemplo do que acontece a muitos portugueses que casam com estrangeiros: quando se divorciam, coloca-se a questão de saber para que país vão os filhos.

    Hoje na SIC

  • "Não era o jogo ideal para estreia do videoárbitro"
    4:50
  • Uma em cada dez crianças já foi vítima de cyberbullying
    10:41
  • "Sou Presidente de uma pátria com os melhores bombeiros do mundo"
    1:20

    País

    O Presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares, avisou este domingo o Governo de que os bombeiros admitem usar o machado da paz para fazer a guerra. Marcelo Rebelo de Sousa destacou o orgulho que sente em ser "Presidente de uma pátria que tem os melhores bombeiros do mundo".