sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 3 mil pessoas apoiam presidente catalão à porta de tribunal de Barcelona

galeria de fotos

Mais de 3 mil pessoas, entre as quais 400 presidentes de câmara da Catalunha, concentraram-se hoje em frente ao tribunal de Barcelona em que hoje vai ser ouvido o presidente catalão, Artur Mas, devido ao "referendo" de 9 de novembro.

© Albert Gea / Reuters

© Albert Gea / Reuters

© Albert Gea / Reuters

© Albert Gea / Reuters

© Gustau Nacarino / Reuters

Artur Mas entrou hoje no Palácio de Justiça de Barcelona, sede do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha, pouco antes das 10:00 (09:00 em Lisboa), para responder sobre a convocação do "referendo de 09 de novembro", organizado e realizado na Catalunha apesar de ter sido proibido pelo Tribunal Constitucional espanhol.

Mas chegou ao Tribunal acompanhado de cerca de 400 dos 967 presidentes de câmara da Catalunha, bem como dirigentes independentistas, membros do atual governo regional e cerca de 2.500 cidadãos. À entrada do presidente no edifício ouviram-se gritos de "Independência".

O presidente do Governo regional catalão é ouvido hoje no Tribunal Superior de Justiça da Catalunha por alegado delito de "desobediência" devido à realização de um "referendo" sobre a independência da região a 09 de novembro último.

A consulta popular realizou-se na Catalunha a 09 de novembro, cinco dias depois de o Tribunal Constitucional espanhol o ter proibido.

O Tribunal Superior de Justiça da Catalunha convocou o presidente da Generalitat para prestar esclarecimentos sobre o envolvimento do governo regional na realização da consulta, na qual 80% dos cerca de 2,5 milhões de catalães que participaram disseram "Sim" a uma Catalunha independente.

Artur Mas, que considera que a justiça catalã e espanhola o está a perseguir politicamente na sequência das últimas eleições regionais, e alega que o Governo regional cessou o seu envolvimento na consulta logo após a decisão do Tribunal Constitucional, a 04 de novembro, tendo o "referendo" sido organizado por "voluntários".

Os juízes catalães que lideram o processo consideram os protestos em frente ao Palácio da Justiça em Barcelona como "uma forma de pressão" sobre a independência dos magistrados, destinada a "influenciar a sua decisão".

A data da presença de Artur Mas em tribunal coincide precisamente com os 75 anos do fuzilamento do antigo presidente da Generalitat Lluis Companys pelo regime do General Franco.

Uma coincidência de datas que tem sido aproveitada politicamente pelos apoiantes de Artur Mas, que ainda espera conseguir um acordo que lhe permita ser reeleito presidente, na sequência da vitória - sem maioria absoluta - da coligação que integrava nas eleições regionais de 27 de setembro.

Ainda antes de ir para o tribunal, Artur Mas e vários dirigentes independentistas - bem como a presidente da Câmara de Barcelona, Ada Colau - participaram na homenagem anual a Lluis Companys.

No final de todo o processo, Artur Mas poderá vir a ser condenado pelos crimes de "desobediência grave", "prevaricação", "uso indevido de fundos públicos" e "usurpação de funções" devido ao "referendo" de 09 de novembro.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • FC Porto acusa Benfica de recorrer a serviços de "bruxaria"
    2:34

    Desporto

    Francisco J. Marques acusou o Benfica de recorrer a "bruxaria". O diretor de comunicação do FC Porto revelou uma troca de e-mails entre Luís Filipe Vieira e Armando Nhaga, suposto comissário nacional da polícia da Guiné-Bissau com a celebração de um contrato de prestação de serviços.

  • Francisco J. Marques promete continuar a revelar e-mails
    2:11

    Desporto

    Francisco J. Marques diz que a Polícia Judiciária sabe como o Futebol Clube do Porto teve acesso aos e-mails e desafia o Benfica a revelar os originais. O diretor de comunicação do clube portista revelou ainda que irá continuar a divulgar e-mails, já que isso não é incompatível com o segredo de Justiça.

  • Confirmada prisão dos portugueses que gravaram nome no portão de Auschwitz

    Mundo

    Dois adolescentes católicos portugueses foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa, por terem gravado os nomes na porta da entrada principal de Auschwitz-Birkenau. O tribunal de primeira instância de Oswiecim já tinha condenado os jovens e o tribunal de Cracóvia confirmou esta quarta-feira a pena aplicada.

  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Quem é a mulher que diz ser filha de Salvador Dalí

    Cultura

    Maria Pilar Abel Martínez nasceu em 1956 e será o alegado fruto de um caso entre a sua mãe e Salvador Dalí. Um tribunal de Madrid ordenou a exumação do cadáver do pintor e a obtenção de amostras, de modo a determinar se a mulher espanhola é mesmo filha de Dalí.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.