sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 100 detidos em tentativa de "cercar" cimeira da UE

Cerca de 600 pessoas tentaram esta quinta-feira "cercar" a cimeira da UE em Bruxelas em protesto ao projeto de acordo de livre-comércio (TTIP), em discussão entre a União Europeia e os Estados Unidos, registando-se 100 detenções.

"O objetivo era de bloquear e impedir a entrada dos dirigentes europeus na cimeira", referiu o porta-voz da polícia.

"O objetivo era de bloquear e impedir a entrada dos dirigentes europeus na cimeira", referiu o porta-voz da polícia.

Valentin Bianchi / AP

Em resposta ao apelo de associações, sindicatos e partidos políticos, os manifestantes juntaram-se no bairro das instituições europeias de Bruxelas a cerca de 120 membros da chamada "euro-marcha", com representantes de partidos de Espanha, França, Itália e da Grécia.

Após diversas atuações musicais e discursos, sob chuva glacial, os presentes distribuíram-se por grupos junto aos edifícios da Comissão, do Parlamento e do Conselho europeus, onde os 28 estão reunidos em cimeira para discutir a crise migratória na Europa.

Foram bloqueados diversos eixos rodoviários no bairro Schuman, para onde foi deslocado um importante contingente policial devido à presença dos dirigentes europeus.

A polícia efetuou "detenções administrativas", designadamente de militantes espanhóis, segundo a agência noticiosa Belga, que se referiu a "violências" entre os manifestantes e a polícia. Uma pessoa na posse de uma faca será presente em tribunal.

"O objetivo era de bloquear e impedir a entrada dos dirigentes europeus na cimeira", referiu o porta-voz da polícia, Christian De Coninck. Em princípio, os detidos administrativamente são libertados ao fim de algumas horas.

De acordo com a eurodeputada espanhola Marina Albiol, presente no protesto, os manifestantes detidos foram manietados pela polícia e permaneceram "duas horas" no chão, com as mãos presas pelas costas, e três pessoas foram hospitalizadas, duas por hipotermia e outra por epilepsia.

O jornal digital espanhol Publico.es referiu que três deputados regionais do partido da esquerda radical espanhola Podemos estão entre os detidos.

Encorajados pelo sucesso da manifestação que juntou entre 100 mil e 250 mil pessoas em Berlim em 10 de outubro contra os projetos de livre-comércio UE-EUA-Canadá, os organizadores denunciam a ausência de transparência das negociações em curso.

Os protestos denunciam o Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP) UE-EUA, cuja próxima ronda de conversações deverá decorrer no final de outubro em Miami (Flórida, Estados Unidos), e destinado a suprimir as barreias alfandegárias e regulamentares entre os EUA e a Europa, à semelhança do acordo similar que está a ser discutido com o Canadá.

Os opositores destes tratados receiam que, caso sejam ratificados, impliquem uma desregulamentação generalizada e um recuo do campo de ação dos governos em benefício das grandes empresas transnacionais.

Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.