sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 15 mortos, incluindo civis, em bombardeamento russo na Síria

Pelo menos 15 pessoas morreram hoje, entre as quais civis, e várias ficaram feridas num bombardeamento da aviação russa no norte da província central síria de Homs, indicou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Muzaffar Salman / Reuters

Os mortos são seis combatentes de fações opositoras ao regime de Damasco e nove civis, incluindo uma menor de idade, precisou a organização não-governamental, não descartando que o número de mortos poderá aumentar porque há feridos em estado grave.

O Observatório referiu que a força aérea russa atacou hoje várias cidades e áreas do norte de Homs.

Estes bombardeamentos coincidem com uma ofensiva por terra do exército sírio contra a cidade de Telbise, um dos principais bastiões rebeldes da metade setentrional de Homs, e outras zonas próximas.

Durante o dia de hoje, a aviação russa teve como alvos Telbise, Tir Maleh e Garnata.

Desde 30 de setembro, a Rússia, aliada do regime do Presidente Bashar al-Assad, está a realizar bombardeamentos na Síria, na sua primeira intervenção militar direta no conflito naquele país desde o seu início, em 2011.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.