sicnot

Perfil

Mundo

Norte das Filipinas em alerta devido à aproximação de tufão Koppu

Dezanove províncias do norte das Filipinas estão em alerta devido à aproximação do tufão Koppu, que se intensificou nas últimas horas e ameaça atingir a região nos próximos dias, informaram hoje fontes oficiais.

© Romeo Ranoco / Reuters

Segundo o mais recente relatório da Agência Meteorológica das Filipinas (PAGASA), o Koppu, acompanhado de ventos sustentados de 130 quilómetros por hora e rajadas de até 160, encontra-se a cerca de 585 quilómetros da localidade de Baler, na costa nordeste das Filipinas.

A tempestade -- chamada "Lando" localmente -- move-se a uma velocidade de 15 quilómetros por hora em direção a oeste, pelo que se espera que atinja Casiguran, a aproximadamente 200 quilómetros a nordeste de Manial, na tarde do próximo domingo.

As Filipinas são atingidas anualmente por 15 a 20 tufões durante a época de monções, que começa, regra geral, em junho e termina em novembro.

Em novembro de 2013, o Haiyan, um dos mais potentes tufões da história, causou 6.300 mortos, mais de 1.000 desaparecidos e 14 milhões de afetados.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.