sicnot

Perfil

Mundo

Rússia diz que destruiu 450 alvos do Estado Islâmico e que deserção é generalizada

A Rússia destruiu 450 alvos do grupo radical Estado Islâmico (EI) e realizou perto de 700 missões de combate desde o início da sua intervenção militar na Síria, informou hoje o porta-voz militar russo Andrei Kartapolov.

Raqqa, cidade a nordeste da Síria, bastião dos jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico (Reuters/ Arquivo)

Raqqa, cidade a nordeste da Síria, bastião dos jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico (Reuters/ Arquivo)

© Rodi Said / Reuters

O general Kartapolov assinalou ainda que "é generalizada" a deserção entre os militantes daquele grupo terrorista.

"Existe um descontentamento crescente entre os comandantes de campo e há evidências de desobediência. A deserção está a tornar-se generalizada", disse.

Segundo Kartapolov, cerca de 100 extremistas passam a fronteira entre a Síria e a Turquia diariamente, abandonando as zonas de combate pelas rotas dos refugiados.

Desde o início da operação militar na Síria, a 30 de setembro, os aviões russos realizaram 669 voos, 115 dos quais noturnos, disse ainda o general numa conferência de imprensa para jornalistas estrangeiros.

Durante a operação foi destruída a infraestrutura dos 'jihadistas' do EI nas províncias de Idleb, Alepo, Homs e no norte de Latakia, sublinhou.

O responsável militar estimou em 50.000 o número de efetivos do Estado Islâmico, adiantando que o grupo possui entre o seu armamento baterias antiaéreas, embora os aviões russos ainda não tenham podido confirmar a sua utilização por parte dos 'jihadistas'.

Kartapolov, vice-chefe do Estado-Maior russo, disse ainda que na Síria não existem vestígios da oposição moderada de que o Ocidente fala.

"No Ocidente falam de oposição moderada, mas nós até agora não a vimos na Síria", afirmou.

Lusa

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.