sicnot

Perfil

Mundo

Salário mínimo na Venezuela aumenta 30% a partir de novembro

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na quinta-feira, um aumento de 30% do salário mínimo dos venezuelanos, em vigor a partir do próximo mês de novembro.

© Handout . / Reuters

"Para proteger o salário, decidi decretar um aumento do salário mínimo nacional de 30%", disse Maduro, que falava durante um encontro com trabalhadores que teve lugar na Siderúrgica de Orinoco (Sidor), em Guyana, a 700 quilómetros a sudeste de Caracas.

"Devem ajustar-se, imediatamente, todas as tabelas da administração pública, das Forças Armadas Nacionais Bolivarianas", frisou, sublinhando que o aumento representa um investimento extraordinário.

Com o novo aumento (o quarto em 2015) o salário mínimo dos venezuelanos sobe de 7.421,66 para 9.649 bolívares (de 1.033 para 1343,49 euros), enquanto o subsídio de alimentação passa a ser de 6.750 bolívares (939,84 euros).

Os venezuelanos queixam-se com frequência dos altos preços dos produtos, num país onde um café custa 70 bolívares (9,74 euros) e um quilograma de carne de vaca ronda os 1.500 bolívares (208,85 euros) à taxa de referência oficial de 6,30 bolívares por cada dólar norte-americano, usada para a importação de produtos prioritários.

Segundo Nicolás Maduro, o aumento vai "muito além" da inflação anual estimada, que "deverá estar à volta dos 80%", apesar do Banco Central da Venezuela não divulgar os dados oficiais sobre a inflação desde janeiro de 2015.

Segundo o Fundo Monetário Internacional e a Comissão Económica para a América Latina e Caraíbas (Cepal) a inflação anual na Venezuela deverá ser superior a 180%.

Lusa

  • Queda de avioneta em Espanha causa 4 mortos

    Mundo

    Uma avioneta com destino a Cascais, em que seguia uma família de quatro pessoas - dois adultos e dois menores - caiu em Sotillo de las Palomas, em Toledo, Espanha.

    Em desenvolvimento

  • Um discurso histórico com os pedidos de sempre
    2:30

    País

    Jerónimo de Sousa voltou este domingo a pedir a renegociação da dívida e a saída de Portugal do euro. Num discurso historicamente curto, apenas 15 minutos, no encerramento do Congresso do PCP, o reeleito secretário-geral comunista anunciou que o aumento dos salários e a reversão das alterações à legislação laboral são duas prioridades para os próximos tempos.

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.