sicnot

Perfil

Mundo

Merkel viaja domingo para a Turquia para debater crise dos refugiados

A chanceler alemã, Ângela Merkel, desloca-se à Turquia no domingo para se encontrar com o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, uma peça-chave aos olhos de Berlim na procura de soluções para a crise dos refugiados.

© Francois Lenoir / Reuters


Merkel, cujos sucessivos governos atuaram como travão às aspirações turcas de aderir à União Europeia (UE), alterou recentemente a sua posição a favor dos pontos de vista de Erdogan, enquanto a nível interno crescem as pressões sobre a chanceler para conter a vaga de pedidos de asilo na Alemanha.

Na sexta-feira, numa ação realizada pela União Democrata-Cristã (CDU), o partido a que preside Merkel, esta expressou a sua "compreensão" para com o pedido de apoio financeiro da União Europeia à Turquia, no valor de 3.000 milhões de euros, para que este país possa ajudar os refugiados que pretendem alcançar a Europa.

"Nós falámos sobre isso", disse Merkel, embora o montante da ajuda tenha triplicado desde que inicialmente foi proposto por Bruxelas e depois de o Governo alemão ter dito que vai defender a possibilidade de a Turquia ser considerada como "país de origem seguro".

Berlim tem-se manifestado relutante em relação às aspirações da Turquia para entrar na União Europeia, mas o medo parece ter-se começado a dissipar devido à necessidade de aliviar a situação criada pelos refugiados que, pela primeira vez, chegam aos países da UE.

Em Istambul, Merkel vai reunir-se com Erdogan e o primeiro-ministro turco, Ahmed Davutoglu Ahmet, onde deverão falar da luta contra o terrorismo do grupo Estado Islâmico (EI) e da crise dos refugiados.

A Turquia tem, em contrapartida, de cooperar ativamente com a Grécia na proteção das fronteiras externas da União Europeia, matéria que não é fácil, nem para Atenas e nem para Âncara, no meio do conflito com o Chipre.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.