sicnot

Perfil

Mundo

Polícia abre investigação preliminar à campanha de reeleição de Dilma Rousseff

A Polícia Federal abriu uma investigação preliminar para verificar supostas irregularidades na campanha eleitoral que culminou, em outubro de 2014, com a reeleição da Presidente brasileira, Dilma Rousseff, informou, esta sexta-feira, a rede de televisão Globo.

© John Vizcaino / Reuters


A investigação foi aberta a 07 de outubro pela Polícia Federal por decisão do magistrado Gilmar Mendes, um dos membros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), segundo fontes policiais contactadas pela Globo.

O objetivo é determinar se Rousseff e o seu vice-presidente, Michel Temer, incorreram em abuso de poder para obter a reeleição e se a campanha eleitoral foi financiada com recursos desviados da petrolífera estatal Petrobras.

As contas, que relacionam receitas e despesas de campanha, foram aprovadas com ressalvas em dezembro do ano passado, mas, em agosto último, Mendes pediu à Procuradoria-Geral da República e à Polícia Federal, nova investigação para esclarecer se a campanha eleitoral de Rousseff beneficiou de dinheiro procedente da teia de corrupção que desviou cerca de 2.000 milhões de dólares da Petrobras.

O juiz citou uma declaração de um empresário preso pelo seu envolvimento na corrupção na Petrobras, que colabora com a investigação em troca de uma redução da pena, e que afirmou ter doado 7,5 milhões de reais (1,9 milhões de dólares) para a campanha eleitoral de Dilma Rousseff procedentes dos desvios.

O magistrado também pediu que sejam investigadas eventuais irregularidades nos pagamentos a uma empresa que recebeu aproximadamente 444.400 dólares da campanha eleitoral de Dilma que havia sido criada apenas dois meses antes de ser contratada e que não explicou na documentação os serviços prestados.

Rousseff, cuja popularidade atinge mínimos históricos, enfrenta uma grave crise política, que se agudizou com o gigantesco escândalo de corrupção na petrolífera estatal brasileira.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.