sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 75% da população mundial não tem acesso a drogas contra a dor

Mais de 75% da população mundial tem pouco ou nenhum acesso a analgésicos opioides para tratar a dor, incluindo mulheres em trabalho de parto ou doentes de cancro, criticou hoje na Malásia a Comissão Global de Políticas sobre Drogas.

© Jayanta Shaw / Reuters

"Cerca de 5.500 milhões de pessoas têm pouco ou nenhum acesso a analgésicos opioides, em particular à morfina, o que resulta em dor e sofrimento evitáveis em todo o mundo", indica o relatório "O impacto negativo do controlo de drogas na saúde pública: a crise global da dor evitável", apresentado pela comissão numa conferência internacional em Kuala Lumpur.

"Os doentes terminais de cancro, em fase terminal de VIH e as mulheres em trabalho de parto, que sofrem de dor extrema, estão entre os grupos mais afetados", refere o documento.

Um dos principais responsáveis por esta situação é a política dominante de "evitar o desvio de substâncias controladas com fins ilícitos, além de assegurar o acesso para fins médicos e científicos".

Para evitar que milhões de pessoas sofram de dor por falta de acesso a medicamentos controlados, a comissão defende a atualização das tabelas de convenções de drogas de 1961 e 1971 com as descobertas científicas posteriores.

Recomenda igualmente que se dê "alta prioridade ao tratamento da dor física e mental, assegurando o acesso a medicamentos controlados".

Nos lugares onde não estão disponíveis, "os governos deviam dispor do financiamento necessário para um programa internacional (...) para assegurar o acesso adequado e razoável a medicamentos controlados", propõe a comissão.

Até agora não foi descoberto um tratamento melhor para a dor moderada a grave que os opioides fortes.

  • "Nos últimos 14 anos alertámos que este dia iria voltar"
    3:50

    País

    O vice-presidente da Câmara de Mação diz que se sente humilhado com o recurso a meios espanhóis para o combate ao fogo no concelho. Em entrevista à SIC, António Louro, que é também engenheiro florestal, critica os vários governos e afirma que nada disto teria acontecido se tivessem ouvido os apelos desesperados da autarquia depois do incêndio que, em 2003, destruiu grande parte do concelho.

  • Marcelo lembra ditadura para deixar elogios à liberdade de imprensa e separação de poderes
    0:29
  • André Ventura rejeita acusações de xenofobia
    1:27

    País

    O candidato do PSD à Câmara de Loures diz que tocou num tema que as pessoas queriam discutir. Entrevistado na SIC Notícias, André Ventura insiste que as declarações que fez sobre a comunidade cigana não são xenófobas ou racistas.

  • Rajoy nega conhecimento de financiamentos ilegais no PP

    Mundo

    O primeiro-ministro espanhol negou hoje ter conhecimento de um esquema ilegal de financiamento, que envolve vários responsáveis do Partido Popular (PP, direita), que lidera. Durante uma audição no tribunal, Mariano Rajoy garantiu ainda que não aceitou nenhum pagamento ilícito.