sicnot

Perfil

Mundo

Canadá anuncia a Obama fim de participação nos ataques aéreos no Iraque e na Síria

O futuro primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, informou hoje o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que vai acabar com a participação canadiana nos ataques aéreos no Iraque e na Síria contra o grupo extremista Estado Islâmico.

© Chris Wattie / Reuters

"Falei com o Presidente Obama há cerca de uma hora", afirmou, em conferência de imprensa, o futuro chefe do Governo canadiano.

Apesar do Canadá se manter como um "forte membro da coligação contra o grupo extremista Estado Islâmico", Trudeau disse que explicou ao líder norte-americano os compromisso assumidos durante a campanha eleitoral sobre acabar com aquela missão de combate.

Justin Trudeau não avançou uma data para o fim da sua participação na coligação internacional.

O Canadá destacou o ano passado vários aviões de combate para aquela região até março de 2016, bem como 70 soldados das forças especiais para treinarem curdos no norte do Iraque.

Durante a campanha eleitoral, Trudeau comprometeu-se em trazer para casa os caças e acabar com a sua missão de combate.

Justin Trudeau é o novo primeiro-ministro do Canadá, depois de as eleições federais de segunda-feira terem dado a maioria absoluta ao Partido Liberal, após quase uma década de governo conservador.

Justin Trudeau, de 43 anos de idade, filho do antigo primeiro-ministro Pierre Trudeau (1968 a 1979), irá liderar o governo, depois de o seu partido ter conseguido a maioria absoluta na nova Câmara dos Comuns, com 338 assentos parlamentares

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.