sicnot

Perfil

Mundo

Canadá "está de volta" à cena internacional, diz PM eleito

O futuro primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, grande vencedor das legislativas de segunda-feira, declarou hoje que o Canadá "está de volta" à cena internacional, após uma década de "ausência diplomática".

Reuters

Reuters

© Chris Wattie / Reuters

"Quero dizer aos amigos deste país em todo o mundo, muitos de entre vós se preocuparam por o Canadá ter perdido a sua compaixão e a sua voz construtiva no mundo durante os últimos dez anos. Tenho uma mensagem simples para vós, em nome dos 35 milhões de canadianos: estamos de volta!", declarou Trudeau, num encontro em Otava.

A Casa Branca anunciou hoje que o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, espera fortalecer as relações com o Canadá após a vitória eleitoral do Partido Liberal por maioria absoluta, o que permitirá a Justin Trudeau dirigir o executivo canadiano nos próximos quatro anos.

Também o Presidente francês, François Hollande, felicitou hoje o futuro primeiro-ministro do Canadá, após a esmagadora vitória nas legislativas de segunda-feira no país, com o qual quer "aumentar mais ainda a cooperação bilateral".

"A conferência de Paris sobre o clima será uma ocasião preciosa para pôr rapidamente em prática esta vontade de agir em conjunto ao serviço da paz e do futuro do planeta", indicou a presidência francesa em comunicado.

Trudeau prometeu "fazer mais" contra o aquecimento global, depois de o Canadá ter abandonado em 2011, pela mão dos conservadores, o protocolo de Quioto, sendo regularmente criticado pela sua falta de empenhamento nessa matéria e pela exploração petrolífera das areias de alcatrão, que estão entre as formas mais poluentes de energia.

A França acolhe em dezembro a grande conferência internacional sobre o clima (COP21), cujo objetivo é alcançar um acordo que limite o aquecimento global a dois graus por comparação com a era pré-industrial.

Por sua vez, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou hoje o desejo de que o futuro Governo canadiano desempenhe um papel determinante para garantir o êxito da conferência climática de Paris.

"O Canadá faz parte do Grupo dos Sete e, a esse título, tem um papel particular a desempenhar para dar um impulso às questões relacionadas com as alterações climáticas", declarou o porta-voz adjunto da ONU Farhan Haq.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.