sicnot

Perfil

Mundo

Tribunal brasileiro aprova extradição de mafioso para a Itália

O Supremo Tribunal Federal do Brasil aprovou hoje a extradição para Itália de Pasquale Scotti, membro de uma família mafiosa, que estava a monte há 24 anos e foi preso em maio em Recife, no nordeste do país.

© Handout . / Reuters

A decisão do tribunal, que deverá ser confirmada pela Presidente brasileira, Dilma Rousseff, depende do governo italiano comprometer-se em aplicar a Scotti uma pena de até 30 anos de prisão, o máximo que se aplica no código penal brasileiro, segundo o tribunal.

Scotti foi condenado à revelia na Itália a uma pena de prisão perpétua em 1991 pela sua participação em assassinatos cometidos entre 1982 e 1983, estando foragido da justiça italiana desde 1986.

O italiano vivia há anos no Recife, capital do estado de Pernambuco - sob o nome falso de Francisco de Castro Visconti - e tem dois filhos brasileiros.

Em sua defesa, Scotti alegou que é "perseguido político", que fugiu da Itália porque corria o risco de ser executado na prisão e, além disso, alegou motivos humanitários, já que se for extraditado não poderá participar da educação dos seus filhos, argumentos que foram rejeitados pelo tribunal brasileiro.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15