sicnot

Perfil

Mundo

Joe Biden anuncia que não será candidato à Presidência dos EUA

O vice-presidente norte-americano, o democrata Joe Biden, anunciou esta quarta-feira que não será candidato às eleições presidenciais de 2016, terminando desta forma com vários meses de especulação.

Com este anúncio, Biden deixa de ser um potencial obstáculo para a nomeação presidencial pelo Partido Democrata da antiga chefe da diplomacia Hillary Clinton, considerada por muitos como favorita.

Com este anúncio, Biden deixa de ser um potencial obstáculo para a nomeação presidencial pelo Partido Democrata da antiga chefe da diplomacia Hillary Clinton, considerada por muitos como favorita.

© Carlos Barria / Reuters

Com este anúncio, Biden deixa de ser um potencial obstáculo para a nomeação presidencial pelo Partido Democrata da antiga chefe da diplomacia Hillary Clinton, considerada por muitos como favorita.

"Acredito que não dispomos do tempo necessário para montar uma candidatura vencedora para a nomeação [democrata]", afirmou Joe Biden, de 72 anos, numa declaração nos jardins da Casa Branca, ao lado do Presidente norte-americano, Barack Obama, e da sua mulher Jill.

Mas, o vice-presidente advertiu: "Embora não seja candidato, irei defender de forma clara e enérgica os valores do nosso partido e a direção que o nosso país deve tomar".

"O partido e o país estarão a cometer um erro trágico se decidirem afastarem-se ou tentarem desfazer o trabalho de Obama", disse Biden.

"Os democratas devem não só defender e proteger este trabalho, mas também fazer uma campanha com base neste trabalho", reforçou.

Este veterano da política norte-americana é visto como o aliado mais fiel de Barack Obama desde a sua eleição em 2008.

Ao contrário de Hillary Clinton, que já manifestou publicamente por diversas vezes algumas diferenças sobre certos dossiês (Líbia, acordo de livre comércio), Biden tem valorizado a sua total fidelidade a Obama, que o foi buscar às primárias democratas presidenciais de 2008 e lhe deu a vice-presidência norte-americana.

"O Presidente e eu não temos qualquer discordância ideológica", afirmou, na terça-feira, Joe Biden, durante uma conferência numa universidade em Washington.

Biden era encarado como um potencial forte concorrente que poderia baralhar a disputa para a nomeação presidencial democrata.

Apesar de Hillary Clinton continuar a ser a favorita, o vice-presidente tem surgido nas sondagens na terceira posição, com 17% das intenções de voto, atrás da antiga secretária de Estado norte-americana e do senador independente Bernie Sanders.

Do lado dos republicanos, o empresário e milionário Donald Trump continua a liderar as preferências do eleitorado do Partido Republicano, reunindo 32% das intenções de voto, segundo uma sondagem hoje divulgada pelo jornal The Washington Post e pela estação de televisão ABC.

Cerca de 42% dos inquiridos afirmou acreditar que o empresário será o vencedor da nomeação republicana, de acordo com os mesmos indicadores.

Lusa

  • Lincoln Chafee torna-se o 4º aspirante democrata à presidência dos EUA
    0:34

    Mundo

    O antigo senador e governador de Rhode Island anunciou que vai candidatar-se à corrida presidencial nos Estados Unidos. Lincoln Chafee de 62 anos torna-se assim o quarto pretendente do Partido Democrata à presidência, que tem Hillary Clinton como favorita. Apresentou a candidatura na madrugada de quarta-feira, numa universidade no estado de Virgínia.

  • Hillary Clinton contra o acordo de comércio livre na região da Ásia e do Pacífico
    1:12

    Mundo

    Hillary Clinton está contra o TPP, o acordo de comércio livre assinado há dias por 12 países da região da Ásia e do Pacífico. Juntos, estes países representam 40% da economia mundial. A candidata à Presidência dos Estados Unidos diz que não apoia este entendimento e que às vezes os acordos comerciais parecem melhor no papel do que depois aplicados à realidade.

  • Donald Trump considera "irrelevante" voto dos imigrantes latinos
    2:24

    Mundo

    A campanha de Donald Trump para ser o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos está a viver mais uma polémica. Trump continua a insistir em fazer discursos contra a imigração de latinos em geral, e diz que o voto deste grupo étnico em particular é "irrelevante".

  • E os nomeados são... conhecidos hoje

    Cultura

    São, esta terça-feira, conhecidos os nomeados para os Óscares. O anúncio vai ser feito a partir de Los Angeles quando forem 13h00 em Lisboa e seguido em direto numa emissão especial da SIC Notícias.

    Aqui a partir das 13:00

  • Centeno promete avançar com reformas para a zona euro
    1:45

    Economia

    Mário Centeno liderou esta segunda-feira a primeira reunião do Eurogrupo. O ministro das Finanças português prometeu pôr mãos à obra para reformar a zona euro e, sem se comprometer com datas, deixou a porta entreaberta à entrada da Bulgária na zona euro.

  • "Shutdown" nos EUA chegou ao fim
    1:05
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.