sicnot

Perfil

Mundo

Joe Biden anuncia que não será candidato à Presidência dos EUA

O vice-presidente norte-americano, o democrata Joe Biden, anunciou esta quarta-feira que não será candidato às eleições presidenciais de 2016, terminando desta forma com vários meses de especulação.

Com este anúncio, Biden deixa de ser um potencial obstáculo para a nomeação presidencial pelo Partido Democrata da antiga chefe da diplomacia Hillary Clinton, considerada por muitos como favorita.

Com este anúncio, Biden deixa de ser um potencial obstáculo para a nomeação presidencial pelo Partido Democrata da antiga chefe da diplomacia Hillary Clinton, considerada por muitos como favorita.

© Carlos Barria / Reuters

Com este anúncio, Biden deixa de ser um potencial obstáculo para a nomeação presidencial pelo Partido Democrata da antiga chefe da diplomacia Hillary Clinton, considerada por muitos como favorita.

"Acredito que não dispomos do tempo necessário para montar uma candidatura vencedora para a nomeação [democrata]", afirmou Joe Biden, de 72 anos, numa declaração nos jardins da Casa Branca, ao lado do Presidente norte-americano, Barack Obama, e da sua mulher Jill.

Mas, o vice-presidente advertiu: "Embora não seja candidato, irei defender de forma clara e enérgica os valores do nosso partido e a direção que o nosso país deve tomar".

"O partido e o país estarão a cometer um erro trágico se decidirem afastarem-se ou tentarem desfazer o trabalho de Obama", disse Biden.

"Os democratas devem não só defender e proteger este trabalho, mas também fazer uma campanha com base neste trabalho", reforçou.

Este veterano da política norte-americana é visto como o aliado mais fiel de Barack Obama desde a sua eleição em 2008.

Ao contrário de Hillary Clinton, que já manifestou publicamente por diversas vezes algumas diferenças sobre certos dossiês (Líbia, acordo de livre comércio), Biden tem valorizado a sua total fidelidade a Obama, que o foi buscar às primárias democratas presidenciais de 2008 e lhe deu a vice-presidência norte-americana.

"O Presidente e eu não temos qualquer discordância ideológica", afirmou, na terça-feira, Joe Biden, durante uma conferência numa universidade em Washington.

Biden era encarado como um potencial forte concorrente que poderia baralhar a disputa para a nomeação presidencial democrata.

Apesar de Hillary Clinton continuar a ser a favorita, o vice-presidente tem surgido nas sondagens na terceira posição, com 17% das intenções de voto, atrás da antiga secretária de Estado norte-americana e do senador independente Bernie Sanders.

Do lado dos republicanos, o empresário e milionário Donald Trump continua a liderar as preferências do eleitorado do Partido Republicano, reunindo 32% das intenções de voto, segundo uma sondagem hoje divulgada pelo jornal The Washington Post e pela estação de televisão ABC.

Cerca de 42% dos inquiridos afirmou acreditar que o empresário será o vencedor da nomeação republicana, de acordo com os mesmos indicadores.

Lusa

  • Lincoln Chafee torna-se o 4º aspirante democrata à presidência dos EUA
    0:34

    Mundo

    O antigo senador e governador de Rhode Island anunciou que vai candidatar-se à corrida presidencial nos Estados Unidos. Lincoln Chafee de 62 anos torna-se assim o quarto pretendente do Partido Democrata à presidência, que tem Hillary Clinton como favorita. Apresentou a candidatura na madrugada de quarta-feira, numa universidade no estado de Virgínia.

  • Hillary Clinton contra o acordo de comércio livre na região da Ásia e do Pacífico
    1:12

    Mundo

    Hillary Clinton está contra o TPP, o acordo de comércio livre assinado há dias por 12 países da região da Ásia e do Pacífico. Juntos, estes países representam 40% da economia mundial. A candidata à Presidência dos Estados Unidos diz que não apoia este entendimento e que às vezes os acordos comerciais parecem melhor no papel do que depois aplicados à realidade.

  • Donald Trump considera "irrelevante" voto dos imigrantes latinos
    2:24

    Mundo

    A campanha de Donald Trump para ser o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos está a viver mais uma polémica. Trump continua a insistir em fazer discursos contra a imigração de latinos em geral, e diz que o voto deste grupo étnico em particular é "irrelevante".

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC