sicnot

Perfil

Mundo

Jornalista húngara ameaça processar o refugiado que rasteirou e o Facebook

"É uma questão de honra" dis Petra Lazlo, a jornalista que esticou a perna e fez cair um refugiado que corria com o filho ao colo na fronteira da Hungria com a Sérvia. Foi tudo filmado e Petra despedida. Agora a antiga jornalista da N1TV ameaça processar o Facebook e Osama Abdul Mohsen.

© Marko Djurica / Reuters

A notícia é avançada pela Sky News que cita um jornal russo.

A repórter de imagem da N1TV da Hungria alega que Mohsen, o refugiado sírio que corria com o filho ao colo e foi rasteirado, "alterou o seu depoimento porque inicialmente responsabilizou a polícia pela queda".

A jornalista acusa ainda o Facebook de se ter recusado a remover "grupos" que surgiram na rede social a ameaçá-la.

"O meu marido quer provar a minha inocência. É uma questão de honra" explica Petra Lászlo ao jornal russo.

Na Hungria corre um processo judicial e a jornalista aguarda julgamento. Logo que termine, a repórter de imagem garante que vai avançar com estes dois processos.

O incidente aconteceu no dia 8 de setembro junto ao campo de Roszke, na fronteira da Hungria com a Sérvia.

No vídeo a jornalista é vista a tentar rasteirar mais duas pessoas.

Na Hungria arrisca-se a uma pena de prisão de cinco anos.

Petra Lászo admite ainda emigrar para a Rússia.

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.