sicnot

Perfil

Mundo

Passagem do tufão Koppu no norte das Filipinas fez pelo menos 35 mortos

A passagem do tufão Koppu pela zona norte das Filipinas fez pelo menos 35 mortos, 24 feridos e afetou mais de 907 mil pessoas, segundo o último balanço hoje divulgado pelas autoridades locais.

FRANCIS R. MALASIG

Após mais de três dias de chuvas intensas, extensas zonas daquela região ficaram submersas, indicaram as mesmas fontes.

Num relatório hoje divulgado, o Conselho Nacional de Gestão e Redução de Riscos de Desastres das Filipinas admitiu que o número de vítimas pode vir a aumentar, uma vez que as operações de resgate de habitantes isolados pelas inundações prosseguem ainda em várias províncias.

A agência governamental filipina precisou que entre as mais de 907 mil pessoas afetadas, 443 mil ficaram desalojadas e 112 mil estão a ser assistidas em centros de acolhimento.

A passagem do tufão Koppu -- que registou ventos que ultrapassaram os 200 quilómetros/hora-, provocou danos materiais significativos no norte das Filipinas, com o registo de 762 zonas inundadas, várias estradas cortadas e 28 pontes intransitáveis.

A agência meteorológica filipina (PAGASA) reviu hoje a classificação do Koppu, de depressão tropical para tempestade, indicando que a chuva, ainda aguardada para aquela região, irá dissipar-se ao longo dos próximos dias.

Anualmente, as Filipinas registam entre 15 a 20 tufões durante a temporada das chuvas, que começa normalmente em junho e termina em novembro.

Em novembro de 2013, o tufão Haiyan, um dos mais potentes tufões da história, causou nas Filipinas 6.300 mortos, mais de 1.000 desaparecidos e mais de 14 milhões de afetados.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.