sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy diz que socialistas em Espanha podem fazer o mesmo que o PS português

O presidente do Governo espanhol e do Partido Popular, Mariano Rajoy, disse hoje esperar que a situação política que se vive em Portugal não se repita em Espanha, com o "Partido Socialista a aliar-se com quem quer que seja para que não governem os mais votados".

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Juan Medina / Reuters

"Espero que isso [acordos pós-eleitorais entre o PS e as restantes forças de esquerda] não se passe em Espanha e que a lista mais votada possa governar já que, em democracia, foi o que sempre vivemos em Espanha", disse Mariano Rajoy sobre a situação política portuguesa, à chegada ao Congresso do Partido Popular Europeu, que decorre até quinta-feira em Madrid.

Rajoy referia-se à possibilidade de a lista mais votada em Portugal, a coligação PSD-PP, poder não conseguir governar devido a uma coligação de esquerda pós-eleitoral constituída pelo PS, pelo Bloco de Esquerda e pelo Partido Comunista Português. Puxando o assunto para Espanha, o presidente do Governo e do PP espanhol disse estar convencido de que o PSOE de Pedro Sanchéz pretende fazer o mesmo.

O líder do PP espanhol recordou, por isso mesmo, os acordos dos socialistas espanhóis que se seguiram às eleições municipais (e autonómicas em 13 comunidades autónomas) de 24 de maio. Nessas eleições, o PP conseguiu ser o partido mais votado globalmente, e em várias autonomias e cidades-chave (como Madrid), mas acordos à esquerda viabilizados pelo PSOE afastaram os populares da governação regional em várias regiões.

Rajoy também puxou a cartada da recuperação económica de Espanha, afirmando que este ano o desemprego espanhol vai decrescer em 650 mil pessoas, ou seja a maior descida da história espanhola.

Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.