sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy diz que socialistas em Espanha podem fazer o mesmo que o PS português

O presidente do Governo espanhol e do Partido Popular, Mariano Rajoy, disse hoje esperar que a situação política que se vive em Portugal não se repita em Espanha, com o "Partido Socialista a aliar-se com quem quer que seja para que não governem os mais votados".

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Juan Medina / Reuters

"Espero que isso [acordos pós-eleitorais entre o PS e as restantes forças de esquerda] não se passe em Espanha e que a lista mais votada possa governar já que, em democracia, foi o que sempre vivemos em Espanha", disse Mariano Rajoy sobre a situação política portuguesa, à chegada ao Congresso do Partido Popular Europeu, que decorre até quinta-feira em Madrid.

Rajoy referia-se à possibilidade de a lista mais votada em Portugal, a coligação PSD-PP, poder não conseguir governar devido a uma coligação de esquerda pós-eleitoral constituída pelo PS, pelo Bloco de Esquerda e pelo Partido Comunista Português. Puxando o assunto para Espanha, o presidente do Governo e do PP espanhol disse estar convencido de que o PSOE de Pedro Sanchéz pretende fazer o mesmo.

O líder do PP espanhol recordou, por isso mesmo, os acordos dos socialistas espanhóis que se seguiram às eleições municipais (e autonómicas em 13 comunidades autónomas) de 24 de maio. Nessas eleições, o PP conseguiu ser o partido mais votado globalmente, e em várias autonomias e cidades-chave (como Madrid), mas acordos à esquerda viabilizados pelo PSOE afastaram os populares da governação regional em várias regiões.

Rajoy também puxou a cartada da recuperação económica de Espanha, afirmando que este ano o desemprego espanhol vai decrescer em 650 mil pessoas, ou seja a maior descida da história espanhola.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.