sicnot

Perfil

Mundo

As maiores tempestades da história recente

As maiores tempestades da história recente

"Potencialmente catastrófico": é assim que o furacão Patrícia está a ser descrito pelos meteorologistas. Com ventos que podem chegar aos 400 quilómetros por hora, o furacão poderá ser tão ou mais devastador do que as maiores tempestades da história recente.

Em 2013, o super-tufão Haiyan fez mais de seis mil mortos nas Filipinas. Dois anos depois há ainda pessoas desaparecidas. A ONU estima que a tempestade - a mais forte de sempre, com ventos de 314 quilómetros por hora - tenha atingido cerca de 11 milhões de pessoas nas Filipinas, mas também na China e no Vietname.

Em agosto de 2005, os Estados Unidos sofreram os efeitos do Katrina. Foi um dos cinco mais mortíferos da história da América. Durou oito dias e fez mais de 1.800 mortos. Os ventos chegaram aos 280 quilómetros /hora e atingiram, além do sudeste dos Estados Unidos, as Bahamas e Cuba.

Há 36 anos, o Tufão Tip, ficou na história como o maior ciclone tropical de que há registo. Tinha um diâmetro de mais de 2.200 quilómetros, quase metade do tamanho dos Estados Unidos. Em 1979, atingiu o Japão com ventos de 305 quilómetros por hora e fez cerca de 100 mortos.

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.