sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 55 pessoas foram mortas em ataques do Boko Haram na Nigéria

Duas explosões destruíram duas mesquitas no nordeste da Nigéria, matando pelo menos 55 pessoas e deixando mais de 100 feridos, além de ter ocorrido outro ataque numa cidade dos Camarões, todos atribuídos ao grupo Boko Haram.

© Joe Penney / Reuters

Os ataques em Maiduguri, Yola (Nigéria) e Kerawa (Camarões) demonstram a ameaça nacional e regional que representam os radicais islâmicos do Boko Haram, apesar das vitórias reivindicadas pelos militares sobre o grupo rebelde.

O primeiro ataque aconteceu em Maiduguri, pouco depois das 05:00 locais (mesma hora em Lisboa), na região de Jidari, no estado de Borno, onde nasceu o Boko Haram em 2002.

Vinte e oito pessoas morreram, além dos dois bombistas, e outras 20 pessoas ficaram feridas, segundo um civil que estava no local.

A agência nacional de gestão de emergências (NEMA) reportou seis mortos e 17 feridos, enquanto fontes hospitalares falam em 19 mortos.

Pelo menos 27 morreram hoje na explosão de uma bomba numa mesquita recém-inaugurada em Yola, no nordeste da Nigéria, informou a agência de gestão de emergência nacional (NEMA).

"Até ao momento, 27 pessoas morreram e 96 ficaram feridas", disse à agência de notícias francesa AFP o coordenador da NEMA na capital do estado de Adamawa, Saad Bello.

A explosão aconteceu por volta das 14:00 locais (mesma hora em Lisboa), na mesquita de Jambutu Jumaat, na cidade de Jimeta, logo após o imã ter terminado o seu sermão inaugural.

Nos Camarões, as fontes regionais e de segurança disseram que os rebeldes tinham invadido a cidade de Kerawa, na região norte, e que um número indeterminado de civis foi morto pelo grupo extremista, mas os elementos do Boko Haram puseram-se em fuga algumas horas depois.

O medo é muito grande em Maiduguri, que já foi atacada seis vezes este mês, resultando em 76 mortes, segundo um balanço da agência de notícias AFP.

Perguntas são feitas sobre a forma como os rebeldes são capazes de realizar ataques de forma tão regular, tendo provocado 117 mortes no mês passado.

Os ataques a bomba mostram os desafios enfrentados pelos Estados Unidos, que na semana passada anunciaram o envio de 300 militares para o norte dos Camarões.

O contingente vai realizar operações de vigilância e inteligência contra o Boko Haram, inclusive dentro da Nigéria, num momento em que os ataques contra civis estão a aumentar.

Desde 2009, os ataques do Boko Haram na Nigéria já provocaram mais de 17 mil mortos e dois milhões de deslocados.

Lusa

  • Enfermeiros dizem que suplemento de 150 € não é suficiente para acordo
    0:57

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros diz que há um avanço nas negociações com o Governo. Esta terça-feira à tarde, uma delegação do Ministério das Finanças esteve numa reunião que decorreu no Ministério da Saúde. Apesar disso, o presidente do sindicato, José Azevedo, explicou à SIC que a proposta do executivo de pagar mais 150 euros aos enfermeiros especializados não é suficiente para chegarem a acordo.

  • Guterres condena onda de violência em Myanmar
    0:43
  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC